Publicidade
Esportes
Craque

Vôlei: o esporte mais querido

No Amazonas, 47% dos jovens têm o vôlei como esporte favorito. Federação Amazonense de Vôlei confirma bom momento. 04/12/2012 às 14:16
Show 1
Vôlei do Amazonas tem futuro garantido
Paulo Riardo Oliveira Manaus (AM)

Ágata Cavalcante é uma bela jovem de 15 anos, 1,78 de altura e que escolheu o voleibol como modalidade de preferência. A atacante personifica uma pesquisa nacional encomendada pela marca de tênis Olympikus ao instituto Datafolha que atestou a preferência pelo vôlei.

A sondagem denominada “O Brasil que Vive o Esporte” ouviu 1.542 pessoas, homens e mulheres com idades entre 18 e 35 anos em 96 municípios do Brasil. Além de levantar as modalidades mais praticadas, a pesquisa mostra um retrato da prática esportiva no País e o significado do esporte para os jovens brasileiros. Além disso abordou série de temas de forma regionalizada.

Chamou a atenção o fato de 47% dos entrevistados no Norte e Centro-Oeste optarem pelo esporte popularizado por atletas como Giba, Ana Paula e cia. O vôlei perde apenas para futebol, lembrado por 60% dos ouvidos.

O estudo não ouviu o universo da faixa etária de Àgata, o que indica que a predileção pelo vôlei deve ser ainda maior por aqui.

Ágata diz ter afeição pelo vôlei por causa da influência da irmã, Cárita, de 18 anos, que já faz parte da seleção amazonense, e também por assistir aos jogos de seus grandes ídolos pela televisão, seja na Liga Mundial seja nos Jogos Olímpicos. “Minha irmã já jogava então recebi a influência dela. Assistir aos jogos pela TV também me fez visualizar quem sabe no futuro chegar a seleção brasileira”, argumenta a jogadora.

Trabalho de base forte

Fruto um trabalho de base feito no colégio La Salle, no conjunto Dom Pedro, Planalto, zona Centro-Oeste, Ágata não está sozinha nesse universo da geração local que gosta de jogar com a bola nas mãos. Há outras tantas jogadoras jovens, com boa estatura e pouca idade. “Há um trabalho de base forte sendo feito no La Salle”, diz o diretor da Federação Amazonense de Voleibol (FAV), Isaac Pessoa.


E nasce um ‘filho’ do vôlei...

Alexandre Carvalho é filho do voleibol. O atleta de 14 anos, 1,82 de altura é filho de um casal que praticou a modalidade na passado. “Meu pai conheceu minha mãe quando jogavam vôlei de praia no Circulo Militar de Manaus. Ele acertou uma bolada nela e foi pedir desculpas.

O resultado disso sou eu”, brincou o atleta, que também estuda no La Salle e pretende evoluir até chegar ao nível de Seleção Brasileira. “Ainda sou novo e sei que posso evoluir muito tecnicamente. Se eu tiver chance de sair de Manaus para os grandes centros, beleza. Senão vou aproveitar para brilhar nas competições nacionais representando o Amazonas”, diz o estudante do ensino médio.

Alexandre joga como ponta de rede e tem Giba como ídolo do vôlei. “No auge, ele foi o mais espetacular durante vários anos na Liga Mundial. Mas houve contusões e ele caiu um pouco, Mas ainda joga muito bem”. Alexandre faz parte da seleção infantil local.


FAV confirma ‘febre’

Dados divulgados pela FAV confirmam a febre do voleibol em Manaus. Conforme a entidade, há 250 atletas masculinos e 160 femininos federados na capital. No interior, há 50 atletas homens e 30 mulheres ativos em competições.

Mas o universo de praticantes é infinitamente maior. Juntando desde a categoria mirim até a adulta há em torno de três mil atletas de vôlei na capital e a metade disso nos municípios, de acordo com a fase.

As escolas públicas e privadas têm cumprido um belo papel nesse processo, trabalhando as categorias de base, tendo em vista que os clubes tradicionais já não mais dão espaço para iniciantes.

A pesquisa revela ainda que em nível nacional o jovem está identificado com esporte por questões de recreação, saúde física, emocional e interação social.

O futebol é esporte preferido em nível nacional, admirado por 57% dos jovens e praticado rotineiramente por 27% deles. Vôlei confirma o importante status de vice, apontado como o segundo esporte mais apreciado por 42% dos entrevistados. Natação (39%), Academia (37%) e Dança (35%) fecham a lista das cinco modalidades preferidas.