Publicidade
Amazônia
Amazônia

Após acidente com aeronave em Manaus, falcão peregrino se recupera no Ibama

Ave, que se reproduz no Hemisfério Norte, chocou-se com um avião no aeroporto Eduardo Gomes e recebe acompanhamento em instituição local 24/04/2015 às 09:44
Show 1
Segundo os especialistas do Ibama, a espécie de falcão que está sendo tratado no órgão é o mais veloz de todo os seres vivos, chegando a alcançar 350Km/h
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Um falcão peregrino, o mais rápido dos seres vivos, cujo voo pode atingir até 350 Km/h, é um ilustre paciente entre os muitos animais que esperam por recuperação ou adoação no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

De acordo com o analista ambiental Róbson Czaban, 56, há cerca de um mês o animal colidiu com um avião nas proximidades do aeroporto internacional Eduardo Gomes, machucou bastante uma das asas e foi levado para o Ibama. Não há registro de outro caso idêntico ocorrido em Manaus. com essa espécie de animal silvestre.

Necessariamente preso (para ser tratado) e longe de seus parceiros, a ave, que está acostumada a viver atravessando continentes, sensibiliza pela incomodação.

“Vamos vai tentar reabilitar ele. Esse ano ele não voa mais e vai ter que passar a temporada aqui no Brasil. O falcão é natural do Hemisfério Norte, mas, como é uma espécie tipicamente migratória, todos os anos, entre outubro e março, migram para a Amazônia e depois retornam para o processo de reprodução, geralmente no Canadá. Ele já faz parte da flora brasileira, mas como é migratório, vive espalhado pelo mundo todo”, esclarece o profissional do Ibama.

Czaban lembra que o animal, domesticado, ainda é usado nas tradicionais falcoarias, prática em que é levado pelo proprietário, apoiado numa proteção de braço, voa para sua caçada e depois retorna.

De acordo com o site Naturlink, especializado em natureza e ambiente, já foram calculadas velocidades máximas instantâneas da ordem dos 350 km/h, e há quem defenda que em determinadas circunstâncias possa mesmo ultrapassar os 400 km/h, mas diversos autores consideram estes valores exagerados, preferindo apostar na média de 250 Km/h. O que ninguém discute é que, quando o falcão peregrino imprime voo em velocidade não existe nenhum ser vivo na face da terra para superá-lo.

Frequentemente os falcões agarram as suas presas em voo no final dos seus picados, mas a situação mais clássica e espetacular dá-se quando, fazendo uso da sua incrível velocidade, abatem as presas simplesmente com o impacto, através de uma pancada desferida com as patas recolhidas ou com a ajuda de uma das garras usada como uma lâmina mortal.

Reprodução

Na época de reprodução, uma vez por ano, o falcão põe três ou quatro ovos num penhasco, diretamente sobre o solo, sem fazer ninho. Os ovos são incubados pelo casal de pais ao longo de cerca de um mês. Como ave reprodutora, é substituído na América do Sul por uma espécie similar e um pouco menor, o falcão-de-peito-laranja.

Róbson Czaban disse que não pode prever quando o falcão estará em condições voar. É fundamental que, depois de recuperado, só seja liberado no período em que os demais estejam na Amazônia.

Cetas

O falcão peregrino está isolado numa gaiola do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), espaço onde se encontram centenas de outras espécies de animais silvestres. O local está lotado, o mesmo ocorrendo no outro Cetas, que fica no Sauim Castanheira.