Publicidade
Amazônia
Amazônia

Após participação no pleito eleitoral, indígenas temem epidemia em aldeias

Preocupação de lideranças é que os índios doentes que estão retornando às aldeias contaminem os seus familiares 19/10/2012 às 08:35
Show 1
Indígenas foram votar na sede de Atalaia do Norte,são abandonados,adoecem e três crianças morreram
Mariana Lima ---

Doze dias depois das eleições, cerca de cem indígenas que saíram de suas aldeias para votar em Atalaia do Norte (a 1.138 quilômetros de Manaus) ainda permanecem abandonados na sede do município. Três crianças, com menos de dois anos de idade, morreram, vítimas de doenças causadas por falta de saneamento básico no local onde as famílias ficaram, segundo a coordenação da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Líderes indígenas do Vale do Javari afirmaram que aproximadamente 2 mil índios deixaram as suas aldeias para participar do pleito no dia 7. Os indígenas teriam sido supostamente aliciados pelo candidato a prefeito Nonato Tenazor (PDT) que teria trocado gasolina por votos dos indígenas.  Tenazor foi eleito e nega essa versão.

Ontem, cerca de cem índios permaneciam alojados em situação insalubre em 16 canoas colocadas às margens do rio Javari.

Para o coordenador regional da Funai, Bruno Pereira, “o número que atingimos hoje (ontem) já corresponde ao fluxo normal de índios que vem à cidade em busca de assistência ou de outros serviços”.

A preocupação agora, segundo o coordenador da Funai, é controlar o número de casos de diarreia para que não ocorra epidemias da doença nas aldeias. Três crianças sendo uma da etnia canamari e duas mayoruna já morreram de desidratação causada pela doença.

O coordenador da Sesai no Vale do Javari, Heródoto de Salles, afirmou que em algumas aldeias o número de doentes tem aumentado de “forma significativa nos últimos dias”. O coordenador acredita que o aumento de casos esteja relacionado ao  contato entre índios contaminados na sede de Atalaia do Norte com os que ficaram nas aldeias.

Heródoto Salles disse ainda que o número de pessoas doentes nas aldeias ainda não foi totalmente registrado pela Sesai. “Não fechamos todos os dados, mas estamos em alerta. Permanecemos enviando equipes e remédios para essas aldeias na tentativa de controlar e monitorar a doença”, disse Heródoto.

epidemia

A possibilidade de uma epidemia nas aldeias é vista, hoje, com preocupação pelos líderes indígenas, disse ontem o representante dos indígenas do Vale do Javari, Jader Marubo. Segundo ele, reuniões com os chefes distritais estão ocorrendo para estudar medidas a serem tomadas para prevenir outros casos.

“A nossa maior preocupação é  que a grande maioria dos índios subiu para as suas aldeias doente. A gente está fazendo reunião com os chefes do distrito porque pode haver uma epidemia e queremos estar preparados se isso acontecer”, disse Jader Marubo, ontem.

Na segunda-feira, Marubo afirmou a A CRÍTICA que o fato de 2 mil índios terem chegado 20 dias antes do pleito teria dificultado o alojamento e a alimentação dos indígenas. “Não tínhamos comida, nem local para alojar todos eles”, disse.