Publicidade
Amazônia
Amazônia

Aposta em novo polo extrativista

A Prefeitura Municipal de Jutaí colocou seus técnicos agrícolas, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), para ajudar na elaboração de projetos de produção rural na vila Cujubim 12/02/2012 às 17:58
Show 1
um exemplo de referência de sustentabilidade a Vila Cojubim tirou do isolamento os ribeirinhos de três comunidades
Antônio Ximenes Jutaí (AM)

Disposta a colaborar para o desenvolvimento da vila Cujubim, a prefeitura de Jutaí, através do vice-prefeito Antonio Cândido, também de origem ribeirinha, colocou seus técnicos agrícolas, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), para ajudar na elaboração de projetos de produção rural na vila Cujubim.“ Com as casas e toda esta infraestrutura proporcionada pela FAS vamos manter técnicos todo o ano aqui. A gente está feliz, porque nos foi repassada a escola também, onde temos três professores”, disse Cândido.  

Comitiva

Uma comitiva municipal formada pelos secretários de Produção Rural, Saúde e o presidente da Câmara de vereadores, sendo eles: Edinaldo Gama, Aldemir Veras e Pedro Macário Barbosa, respectivamente, também esteve presente na inauguração da vila. Os ribeirinhos, surpresos com tanta gente graúda, como costumam dizer, tiveram um dia totalmente diferente de suas rotinas. “A gente quer ver este povo da cidade mais vezes, mas que tragam médicos, enfermeiros e recursos para a comunidade”, disse ‘José Galego’.

Polo de desenvolvimento

Pelo Estado, o assessor especial da Coordenação do Ceuc, Walter Costa Antunes, representando seu chefe Sérgio Gonçalves e a secretária da SDS, Nádia Ferreira, disse “que as ações na RDS local vão ser ampliadas com a criação da vila. “Trata-se de um novo polo de desenvolvimento extrativista que está nascendo com planejamento e isso é fundamental para os ribeirinhos”.

Francisco de Assis da Silva Moreira gestor da RDS Cujubim, disse que a proteção e fiscalização da reserva melhorou através da criação da vila Cujubim. “Há mais organização e os caçadores e pescadores ilegais não têm entrado na área onde vivem os comunitários. Agora, vamos tratar de aumentar e melhorar a renda das comunidades”.

Farinha

Com uma nova mentalidade empreendedora na região, o Idam disponibilizou o técnico Neuton Peres da Costa, especialista na fabricação de farinha, para que os agricultores da vila aprendessem a produzir com mais higiene e dentro dos padrões sanitários exigidos pelo mercado. “Eles não sabiam coisas básicas de tratamento da farinha, mas em pouco mais de uma semana aprenderam a produzir com qualidade”, disse Costa, junto a um grupo de jovens aprendizes na casa de farinha improvisada da vila. “Eu vou plantar, colher e fazer a minha farinha para vender na cidade”, disse Francisco dos Santos Pereira da Silva, aluno aprendiz.

O delegado pastor

O cabo da polícia militar Mário Jorge da Silva Alicatia, também é o delegado de Jutaí e pastor da Assembléia de Deus. Em sua cintura uma pistola e nas mãos a bíblia.

Junto com a irmã dominicana Gabriela do Monte Silva, ele fez as orações que antecederam a entrega das casas aos ribeirinhos. “Eu mantenho a ordem com os meus homens e as armas, mas a minha maior força é a palavra de Jesus Cristo, nosso Senhor”, disse Alicatia.

A irmã Gabriela, liderança respeitada na região, disse “que a vila que nascia deveria ser unida, que um graveto se quebra facilmente, mas que um feixe de madeira, a exemplo de um grupo unido, não se quebra”. Ela destacou que isolamento se combate com solidariedade e amor no coração.

Visionários

Na vanguarda da elaboração e execução do projeto que levou a construção da vila Cujubim está o superintendente da FAS, Virgilio Viana, que disse: "o que fizemos aqui na RDS do Cujubim, uma das áreas mais isoladas do Brasil, nos permite dizer que estamos prontos para atuar em qualquer região da Amazônia. Este povo vivia no isolamento, mas, agora, é referência de desenvolvimento sustentável. Isso é extraordinário, por isso investimos com firmeza, para preservar e conservar o que essa gente da floresta tem de melhor".

Na companhia de João Tezza, diretor técnico da FAS e de outros colegas como Francisco Ademar, Benjamim, Zenaura Maria de Freitas, entre outros tantos colaboradores da Fundação, Virgílio Viana, disse estar disposto a construir mais centros de desenvolvimento sustentável em outras unidades de conservação do Estado. Até o momento foram construídas apenas oito unidades.