Publicidade
Amazônia
Amazônia

Aulas foram canceladas no município de Tabatinga (AM) por causa da cheia

Escolas comunitárias  do município foram afetadas pela subida do rio Solimões 30/03/2012 às 07:51
Show 1
Comunidade de Sacambu 2 foi uma das mais afetadas pela cheia de 2009
Milton de Oliveira Manaus

Comunidades do município de Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus) estão com aulas paralisadas por conta da cheia do rio Solimões. O medo de ter crianças afogadas, como já aconteceu em anos anteriores, levou às autoridades a suspender as atividades escolares.

Moradores de áreas afetadas, como as comunidades Bananal, Sacambu 1 e 2, Urique, Sapotal, Ressurreição, Tauvaru, abandonaram suas residências.

“Muitas famílias que têm parentes em comunidades que estão em terra firme, como as comunidades Umariaçu 1 e 2, já se mudaram, porque iriam perder tudo”, disse o professor Sebastião Ramos, 40.

Ainda conforme o professor, as famílias que decidiram ficar correm o risco de “morar sobre os telhados”. “Não sei até quando eles vão aguentar ficar naquela situação, porque essas famílias não estão sendo atendidas devidamente pela Defesa Civil”, destacou Sebastião.

Ajuda
O Sub-Comando de Ações da Defesa Civil do Estado do Amazonas (Subcomandec) informou que a ajuda para a região do Alto Solimões está sendo preparada.

“Para as calhas do Juruá e do Purus já foram destinadas 270 toneladas de alimento. Agora estamos providenciando a logística para atender os municípios do Alto Solimões, afetados pela cheia”, afirmou o secretário adjunto da Defesa Civil do Estado do Amazonas, Hermógenes Rabelo.

Ele frisou também que as comunidades afetadas receberam, além de alimentos, remédios e materiais de higiene, e, os mesmos procedimentos serão  tomados no Alto Solimões.

Capital
Em Manaus, vários bairros estão sendo monitorados pela Defesa Civil do município. Nos bairros Glória e São Raimundo, Zona Oeste, pontes de madeira estão sendo construídas e famílias procuram casas para alugar.

“Eu não vou esperar as autoridades afirmarem que a cheia vai ser recorde. Então, já procurei uma casa para alugar, na parte alta do bairro”, disse o morador do São Raimundo Josiel Silva, 43.

De acordo com o encarregado do Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva, 63, da última quarta-feira para quinta (29), o rio Negro subiu mais cinco centímetros.

“Hoje (ontem) o nível do rio é de 27,60. Na mesma data, em 2009, quando ocorreu a maior cheia, o nível era de 27,35”, ressaltou ele.

O Serviço Geológico do Brasil  (CPRM) informou que o primeiro alerta de cheia no Estado, será divulgado na próxima segunda-feira.

27m60cm - É a cota do rio Negro medida na régua do Porto Privatizado de Manaus, nessa quinta-feira (29). No mesmo dia, em 2009, ano da maior enchente já registrada, a cota era de  27m35cm.  Apesar da alteração de todos os rios em toda a bacia Amazônia, especialistas ainda não arriscam dizer qual o tamanho da enchente deste ano

Ministro da Integração Nacional fará com o governador um sobrevôo em dois municípios da RMM
O governador do Amazonas, Omar Aziz, recebe hoje, às 9h30, na sede do Governo, na Compensa, o ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra Coelho. Antes, às 8h30, na companhia do ministro e do senador Eduardo Braga (PMDB), Omar Aziz  fará um sobrevoo de helicóptero em áreas afetadas pelas enchentes nos municípios do Careiro da Várzea e Manaquiri, na Região Metropolitana de Manaus.

Segundo o governador, Fernando Bezerra vem ao Estado por ordem da presidenta Dilma Rousseff para verificar a situação dos ribeirinhos atingidos pela cheia. Pelos cálculos da Defesa Civil do Estado, 27.599 famílias já foram afetadas pelas enchentes em 19 municípios que se encontram em situação de emergência.

“Conversei com a presidenta semana passada, pedi ajuda e ela nos atendeu e me disse que o ministro estaria aqui com a gente esta semana. Nós iremos sobrevoar algumas áreas onde a cheia já está chegando”, afirmou o governador.

Na última quarta-feira, o Governo Federal publicou portaria concedendo abertura de crédito de R$ 8 milhões para ajudar o Governo do Amazonas nas ações de assistência às vítimas da cheia no interior do Estado. Os recursos, que deverão estar disponíveis no prazo de uma semana, irão somar-se aos R$ 6 milhões já aplicados pelo Governo do Estado no programa Cartão Amazonas Social, que será distribuído às famílias em situação de risco.

Durante a reunião na sede do Governo, será assinado convênio no valor de R$ 44 milhões com o Ministério da Integração Nacional. Desse montante, R$ 4 milhões serão a contrapartida do Governo Estadual para o projeto “Água para Todos no Estado do Amazonas”, que foi elaborado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS).

Projeto promete água para interior
O projeto  “Água para Todos no Estado do Amazonas” pretende garantir a universalização do acesso à agua potável em município do interior do Estado. A estimativa do governo é de que ele, quando implantado,  deverá beneficiar 10.560 famílias de 15 municípios do interior.