Publicidade
Amazônia
Amazônia

Celebridades defendem maior rigor do novo Código Penal na proteção aos animais

O vídeo pode ser assistido no site do Movimento Nacional de Proteção e Defesa Animal e traz uma petição que coleta assinaturas a favor da causa, pela Internet. 09/10/2012 às 15:35
Show 1
Os dois atores aderiram à luta para punições mais rigorosas nos crimes contra o meio ambiente e os animais
Agência Senado Brasília

Celebridades, como os atores globais Bruno Gagliasso e Ìsis Valverde, aderiram à luta para punição mais rigorosa nos crimes contra o meio ambiente e os animais. Elas defendem, em vídeo, o rigor proposto pelo projeto de lei que reforma o atual Código Penal, em tramitação no Senado Federal.

 A reforma foi iniciada por comissão de especialistas, criada pelo presidente José Sarney, a partir de requerimento do senador Petro Taques (PDT-MT). O projeto de lei decorrente (nº 236/12) é examinado por comissão especial de senadores atualmente. O vídeo pode ser assistido no site do Movimento Nacional de Proteção e Defesa Animal e traz uma petição que coleta assinaturas a favor da causa, pela Internet.

A página informa que o movimento é "formado pela união de diversas entidades de proteção dos animais, protetores independentes e amantes dos animais com o único intuito de lutar para que os direitos dos animais sejam garantidos na reforma do Código Penal". Também registra que representantes do movimento compareceram as audiências públicas de debate do novo texto em São Paulo, Aracaju, Rio de Janeiro e Porto Alegre, dentre outras iniciativas de mobilização: "Elaboramos documentos, compilamos estudos internacionais, fizemos uma petição online que hoje conta com mais de 100 mil assinaturas, fizemos um Pedágio Nacional do qual, até o momento, já recebemos cerca de 80 mil assinaturas físicas, começamos uma campanha para incentivar as pessoas a enviar suas sugestões ao Alô Senado, fomos a Brasilia levar cerca de 160 mil assinaturas, parciais, que demonstram o anseio da população por maior punição para quem comete crimes contra animais."