Publicidade
Amazônia
ecnologia,Meio Ambiente,Energia Limpa,Cooperação Técnica Alemã,Rio Madeira,RDS Rio Madeira

Comunidade no interior do AM terá energia fluvial, a partir de tecnologia alemã

Doada pela empresa alemã Smart Hydro Power, turbina portátil irá fornecer energia elétrica fluvial para a comunidade do Urubuzão, na RDS Madeira 15/06/2012 às 16:27
Show 1
Equipamento é dotado de duas bóias flutuadoras
Síntia Maciel Manaus

Os moradores da comunidade Urubuzão, localizada na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Madeira - que envolve os municípios de Borba, Novo Aripuanã e Manicoré -, a partir do próximo mês de julho passarão a contar com a geração de energia limpa no local.

Doada pela empresa alemã Smart Hydro Power, uma turbina portátil, pesando aproximadamente 300 kg, rotor de três pás, e desempenho de 5kw, irá fornecer energia elétrica fluvial para a comunidade. Dotada de duas bóias flutuantes, o equipamento  tem vida útil de 10 anos.

“Escolhemos a região a amazônica por ser a maior bacia hidrográfica do mundo, com potencial hídrico, onde as nossas turbinas podem gerar energia com sustentabilidade, no meio da floresta”, ressalta o diretor da Smart Hydro Power, Karl Reinhardt Kohnsee.

Segundo ele, turbinas semelhantes já operam em algumas localidades da Índia, China, entre outras áreas com pequenas comunidades.

A doação da turbina foi intermediada pela Cooperação Alemã para o Desenvolvimento (GIZ, em português) e a Fundação Amazonas Sustentável (FAS).  O equipamento está avaliado em  17 mil euros – o equivalente a R$ 43 mil.  

De acordo com o coordenador de eletrificação rural da GIZ, Klaus Albrechtsen, além da comunidade Urubuzão, há a possibilidade de também haver outra doação para a comunidade Verdum, também na RDS Madeira, onde a economia local gera em torno da produção de chocolate.

Dependendo do desempenho da turbina alemã, nos rios amazônicos, o diretor da Smart Hydro Power, não descarta a possibilidade de instalar uma filial da fábrica em Manaus.

“Tudo irá depender da aceitação do produto, e o seu dempenho”, observa Kohnsee.