Publicidade
Amazônia
Cotidiano, Meio Ambiente, Medicina Veterinária, Conselho Federal de Medicina Veterinária, Semmas, Refúgio Sauim Castanheiras

Conselho Federal de Medicina Veterinária tem representante do AM

Gestor do Refúgio da Vida Silvestre Sauim Castanheiras, Laérzio Chiesorin foi nomeado para a Comissão Nacional de Animais Silvestres, do CFMV, 01/08/2012 às 16:20
Show 1
Nas dependências do refúgio, veterinário Laérzio Chiesorin, cuida de um gavião-tauató resgatado na estrada
acritica.com Manaus

O médico veterinário Laérzio Chiesorin Neto, 31, que atua como gestor do Refúgio da Vida Silvestre Sauim Castanheiras, localizado no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Leste de Manaus, foi nomeado para a Comissão Nacional de Animais Silvestres, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), instância que trata das questões referentes aos animais silvestres no âmbito do conselho.

A comissão é formada por outros cinco profissionais de Medicina Veterinária de todo o País e pela primeira vez tem um representante de Manaus. O veterinário passou a integrar o CFMV, desde a última segunda-feira (30).

Para Laérzio, a indicação é um reconhecimento ao trabalho realizado pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), do Refúgio Sauim Castanheiras. O local funciona como um santuário da vida silvestre em Manaus, para onde são levados os animais silvestres das mais diferentes espécies encontrados em situação de risco no meio urbano.

Formado há oito anos, pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Láerzio tem especialização em morfofisiologia animal e está em Manaus há sete anos e meio. Natural de Curitiba, ele conta que sempre teve afinidade com a área.

“Aqui no Amazonas tive oportunidade de atuar profissionalmente com os animais silvestres e é extremamente gratificante estar aqui num dos pontos de maior biodiversidade do planeta, com espécies endêmicas e únicas”, lembra o veterinário, ressaltando que cuidar de espécies silvestres requer cuidados especiais.

Chiesorin também faz parte do Plano de Ação Nacional para a Conservação do Sauim de Coleira, do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que tem como finalidade propor ações para a conservação da espécie ameaçada.

Resgates
De janeiro até agora, 621 animais silvestres foram resgatados pelo Cetas. Além de resgatar, o Centro também trata e reintroduz os animais na natureza, quando estes estão aptos a retornarem à vida livre.

Laérzio explica que o refúgio – administrado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) -, conta com a parceria de outros órgãos, como o Ibama, o Batalhão Ambiental da Polícia Militar e a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), para a realização do trabalho. Essas instituições também encaminham animais para o Refúgio Sauim Castanheiras. Este ano, já foram feitas 211 solturas e 188 animais são mantidos na unidade.

O titular da Semmas, Marcelo Dutra, ressaltou a importância do conselho, como órgão máximo da Medicina Veterinária no País e responsável por deliberar sobre questões inerentes ao exercício da profissão.