Publicidade
Amazônia
Amazônia

Crimes ambientais serão combatidos por cooperação no AM

Presidente do Ibama virá a Manaus discutir nova parceria com Exército para o combate a crimes ambientais na região 10/10/2012 às 09:11
Show 1
Soldados já atuam no combate a crimes ambientais por meio da Comissão Integrada de Combate a Crimes Ambientais, que reúne vários órgãos públicos
Náferson Cruz ---

O presidente nacional do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Volney Zanardi Júnior, vem a Manaus na próxima semana para traçar estratégias e táticas do órgão em defesa do bioma Amazônia.

Na programação consta ainda a visita ao Comando Militar da Amazônia (CMA) onde Volney Zanardi pretende oficializar um acordo de cooperação imediata entre as entidades para atuarem nas operações de combate às queimadas. O diálogo entre os representantes do Ibama e do CMA teve início na última semana, durante a visita  feita pelo comandante militar da Amazônia, Eduardo Villas Boas, ao  Ibama em Brasília. Na ocasião, ele colocou o comando a disposição para atuar nas ações de combate a crimes ambientais na região.

Os primeiros passos da cooperação devem ocorrer com operações de inteligência, que irão subsidiar as atividades de fiscalização e monitoramento ambiental, bem como a disponibilidade do Exército em receber produtos madeireiros apreendidos durante as operações.

De acordo com o superintendente substituto do Ibama no Amazonas, Geandro Pantoja, a parceria do órgão com o Exército já ocorre por meio da Comissão Integrada de Combate a Crimes Ambientais, com demais órgãos envolvidos, no entanto, o novo acordo deve enveredar para ações mais intensas. Pantoja ressaltou que agentes do órgão e brigadadistas contratados temporariamente pelo Ibama estão atuando na região Sul do Amazonas, uma das mais críticas.

Ipaam

Enquanto isso, na Região Metropolitana de Manaus (RMM), o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) está com monitoramento rotineiro na margem direita do rio Negro desde a inauguração da ponte Rio Negro, agindo no combate às queimadas e a todas as formas de ilícitos ambientais, valendo-se inclusive de sobrevoos. 

O Ipaam recomenda aos moradores dos municípios amazonenses que não façam uso do fogo para eliminar os resíduos domiciliares. O instituto alerta para a existência da Portaria Ipaam nº 127/10 que proíbe o uso do fogo entre agosto e outubro como medida para conter os incêndios florestais.