Publicidade
Amazônia
Amazônia

Deputado pede cancelamento de licença concedida a empresa que desmatou terras em Manaus

Deputado pediu o cancelamento da licença concedida pela Semmas a empresa Concrecicle Comércio de Reciclados 06/07/2012 às 08:32
Show 1
Derrubada de floresta primária alcançou às margens do Lago do Aleixo e revoltou os moradores da comunidade
jornal a crítica Manaus

O cancelamento imediato da licença municipal concedida à Concrecicle Comércio de Materiais Reciclados para Construção, e que resultou no desmatamento de terras do lago do Aleixo, foi solicitado hoje à  Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), pelo deputado Luiz Castro (PPS), considerando tratar-se de uma concessão irregular que causou prejuízo irreparável ao meio ambiente, em Área de Proteção Permanente (APP).

A área desmatada é de propriedade do Governo do Estado, conforme documento e mapa da região, enviados pela Secretaria Estadual de Política Fundiária, ao deputado Luiz Castro, depois que ele denunciou o crime ambiental e cobrou providências contra a ação de grileiros no local. Ele pediu ao secretário Ailton Soares a reintegração de posse do terreno.

O deputado também está cobrando à Promotoria de Justiça Especializada na Defesa do Meio Ambiente, o embargo imediato da atividade desenvolvida pela empresa que está terraplanando o terreno, e que o responsável pelos danos, ambientais seja responsabilizado civil e criminalmente.

Presidente da Comissão do Meio Ambiente da Assembleia Legislativa, Luiz Castro determinou uma inspeção na área, no mês passado, atendendo denúncia dos moradores que vivem próximos da área desmatada, no lago do Aleixo, e que continuam sendo ameaçados pelos grileiros, de expulsão do local onde vivem há mais de 20 anos.

Os técnicos da Comissão do Meio Ambiente que visitaram a comunidade Bela Vista, no entorno do lago, constataram que aproximadamente um hectare de mata primária foi derrubado na área localizada atrás da Penitenciária do Puraquequara,

De acordo com os técnicos,  o desmatamento da vegetação que cobria a área, está causando o aterramento das nascentes do lago do Aleixo.

As terras estão se deslocando, alterando a formação natural do solo. Eles verificaram ainda a existência de cinco emissários de esgoto provenientes da penitenciária, que são despejados diretamente no lago.

Esperteza
Durante o feriadão de Corpus Christis, a empresa começou a desmatar a área. “Eles disseram que nem em dia comum a polícia ambiental apareceria ali, quanto mais no feriadão. Eles querem pagar R$ 5 mil às famílias que moram lá para sairem”, disse o fotografo Walter Calheiros, morador da região.

11,4 Milhões de metros quadrados  foram   desmatados pela empresa Concrecicle Comércio de Materiais Reciclados para construção. A empresa obteve uma licença da Semmas, mas extrapolou a área informada e, por isso, foi autuada pelo órgão ambiental