Publicidade
Amazônia
Amazônia

Encontro Consciência debate a caça predatória do peixe-boi da Amazônia em março

Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), o peixe-boi da Amazônia corre alto risco de extinção a médio prazo, principalmente por conta da pesca predatória 14/03/2012 às 11:45
Show 1
Animais resgatados em municípios do Médio Solimões são encaminhados para o "Centrinho"
acritica.com ---

Espécie considerada vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), o peixe-boi-amazônico (Trichechus inunguis) corre alto risco de extinção a médio prazo, principalmente por conta da pesca predatória em rios da região amazônica.

Mas a pesca ilegal do peixe-boi-amazônico, hoje feita principalmente por populações ribeirinhas para o consumo da carne, não é a única ameaça à menor espécie de peixe-boi do mundo, alerta a Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa).

A destruição do habitat e a contaminação dos rios com mercúrio e agrotóxicos também são apontadas pela entidade como obstáculos à sobrevivência da espécie amazônica.

Essa ameaça que sofre hoje o peixe-boi-amazônica será um dos temas da sexta edição do “Encontro Consciência”, que acontece no próximo dia 25 de março em Balbina, no município amazonense de Presidente Figueiredo, entre as 6h e 16h.

Inscrições

O evento, que pretende estreitar a relação entre jornalistas, estudantes e pesquisadores, está com inscrições abertas. As inscrições são gratuitas e limitadas, podendo ser feitas até o dia 20 de março, enviando a ficha de inscrição para o e-mail digital.inpa@gmail.com. Mais informações no portal inpa.gov.br.

O encontro é uma parceria entre a Associação Amigos do Peixe-boi (Ampa) e o Centro de Preservação e Pesquisa dos Mamíferos Aquáticos (CPPMA), localizado em Balbina, 187 km de Manaus.

Discussão

O evento irá trazer à discussão um problema em evidência na mídia: a caça predatória do peixe-boi da Amazônia. Contará, ainda, com a presença do biológo da Ampa, Diogo Souza; do jornalista do Portal Amazônia, Wallace Abreu; e da assessora de comunicação da Ampa, Séfora Antela.

O biólogo Diogo Souza explicará os projetos que a Ampa executa juntamente com o Laboratório de Mamíferos Aquáicos (LMA) do Inpa. "Acho importante a imprensa ficar atenta aos problemas ambientais que a Amazônia enfrenta como a caça e o comércio ilegal dos peixes-bois. Durante todo o evento nossa equipe mostrará as atividades realizadas pela instituição, que contribuem para a conservação desta espécie endêmica da região, como a reabilitação de filhotes e a reintrodução dos peixes-bois para seu habitat natural”, expôs.

Espécie

O peixe-boi da Amazônia é o menor dos peixes-bois existentes no mundo. Alcança 2,8 a 3,0 m de comprimento e pode pesar até 450 kg. Seu couro cinza escuro é extremante grosso e resistente.

Essa espécie é também, a única que ocorre exclusivamente em água doce, podendo ser encontrada em todos os rios da bacia Amazônica. Alimenta-se essencialmente de plantas aquáticas e semi-aquáticas, e chega a consumir mais de 8% do seu peso corporal em alimento por dia.

No passado, os peixes-bois foram muito caçados pela sua carne e couro. Hoje a caça, embora ilegal, é ainda feita principalmente pelas populações ribeirinhas, para o consumo da carne. Além da caça, as principais ameaças ao peixe-boi são a destruição e a degradação do habitat, incluindo a liberação de mercúrio e agrotóxicos nos rios.

Represas hidrelétricas atuam como barreiras e isolam populações, limitando a variabilidade genética da espécie. Frequentemente filhotes são acidentalmente capturados em redes de pesca e alguns resgatados pelo IBAMA e órgãos ambientais.

Edições anteriores

O “Encontro Consciência” teve sua primeira edição em março de 2011 e sempre procurou abordar temas da área científica de maneira clara e dinâmica para seus participantes. Temas como “O crescimento urbano de Manaus”, “Dengue”, “Mundanças climáticas” e “Manejo Florestal” levaram jornalistas, assessores e estudantes a refletir sobre como transmitir com mais clareza as pesquisas científicas para toda a população.