Publicidade
Amazônia
Amazônia

Ervas-de-passarinho começam a ser combatidas em árvores do Centro de Manaus

A intenção do secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Marcelo Dutra, é dar regularidade ao trabalho de manutenção, através da contratação de uma empresa especializada. 17/06/2012 às 17:29
Show 1
Ervas-de-passarinho começam a ser combatidas em árvores do Centro de Manaus
acritica.com Manaus

Depois de realizar um levantamento minucioso sobre os locais de maior ocorrência de infestação da erva-de passarinho, a Prefeitura de Manaus deu início na manhã do último sábado (16) ao trabalho de manejo da praga na arborização do Centro. A operação começou com a retirada dos galhos das árvores centenárias atingidas pelo problema na Rua Costa Azevedo, no trecho entre as ruas Saldanha Marinho e 24 de Maio.

O trabalho foi supervisionado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), responsável pelo levantamento, e executado pela Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) e Amazonas Energia, com apoio do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), que interditou a via.

A intenção do secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Marcelo Dutra, é dar regularidade ao trabalho de manutenção, através da contratação de uma empresa especializada. Ele ressalta que, além de plantar novas árvores, com esta ação a  prefeitura demonstra o cuidado com o patrimônio arbóreo já existente. A ação de retirada das ervas-de-passarinho teve início por volta das 8h e se estendeu até o meio-dia, com equipamentos como motopodas, motosserras e um caminhão-munck com cestos aéreos.

Bastante comprometidas, algumas das árvores tiveram que passar por uma poda mais severa para que ficassem totalmente livres do parasita, que pode levar a planta à morte. O diretor de Arborização da Semmas, Heitor Liberato, explica que o combate à praga só tem êxito se for feito de forma técnica e com equipamentos específicos e pessoal preparado.

É importante também, segundo ele, que seja feita uma manutenção regular para evitar que o problema volte a ocorrer. A erva-de-passarinho é um parasita que se alimenta da seiva da árvore, tirando dela todos os nutrientes de que precisa para sobreviver. Sua disseminação é feita pelos pássaros que se alimentam do fruto e espalham a sementes através das fezes. De acordo com o levantamento feito pela Semmas, 49 árvores do Centro estão infestadas pela erva-de-passarinho.

O engenheiro florestal Moacir Muniz, da Semmas, explica que as aves são atraídas pela cor avermelhada dos frutos. “Ele (os pássaros) comem o fruto que tem uma substância purgante e logo sentem necessidade de defecar, basta apenas que pousem em outra árvore para que a erva-de-passarinho se dissemine. O ideal é que haja o manejo uma vez por mês para evitar podas mais drásticas, quando as plantas sofrem ataques severos”, afirmou. A erva-de-passarinho chega a cobrir totalmente as copas das árvores impedindo o contato das folhas com o sol. Elas possuem raízes que se fixam na casca da planta, retirando a seiva das árvores.

A operação foi acompanhada pelos moradores da área que ficaram satisfeitos com a ação da prefeitura. A dona de casa Márcia Maria Oliveira, 47, se disse preocupada com a situação das mangueiras que conheceu ainda menina.

“As ervas de passarinho estavam matando as mangueiras e nossa esperança é que elas consigam sobreviver e, quem sabe, até dar mangas novamente”, comentou. Já a vizinha, Ana Maria Bastos, 66, que mora há 49 anos na Costa Azevedo, afirmou que era muito triste ver as árvores sofrendo com o ataque das ervas que chegavam a cobrir toda a copa sem poder fazer nada.

“Há 12 anos que solicitamos o apoio da prefeitura e agora estamos sendo atendidos”, declarou. Moacir Muniz explica que a mangueira tem boa resistência para a poda e em aproximadamente três semanas devem começar a brotar novamente. O engenheiro não descarta a possibilidade delas virem a dar mangas, apesar do ambiente hostil. Ele explica que, além das ervas-de-passarinho, aquelas árvores da área central da cidade sofrem por estarem cercadas de asfalto. “As árvores frutíferas tiram nutrientes do solo e precisam de água, adubação e nas condições em que se encontram elas enfrentam dificuldades para dar frutos”, afirmou.

O trabalho de retirada da erva-de-passarinho continuará sendo realizado no Centro por aproximadamente dois meses, sempre nos finais de semana, em função de fatores limitantes como o trânsito na área nos dias úteis e a necessidade de interdição por medida de segurança. As árvores já identificadas com o problema estão localizadas entre 10 avenidas e ruas da área do centro de Manaus. Os técnicos da Semmas constataram a infestação nas espécies Mangueira (Mangifera indica), Apui (Parkia pendula) e Castanholeira (Terminalia catappa). A próxima área a ser mapeada será a Cachoeirinha, onde é grande o número de árvores atacadas pela praga.

LEVANTAMENTO CENTRO

Avenida Constantino Nery                                 12 mangueiras

Praça da Saudade                                            01 mangueira

Avenida Luiz Antony                                         13 mangueiras

Avenida Eduardo Ribeiro                                   02 apuizeiros

Rua Ferreira Pena                                            03 castanholeiras

Avenida. Boulevard Álvaro Maia                       Não possui árvores com infestaçao

 

Rua 10 de julho                                                 03 mangueiras

Rua Costa Azevedo                                            08 mangueiras

Rua 24 de maio                                                 01 mangueira

Rua Saldanha Marinho                                        03 castanholeiras

Avenida Getúlio Vargas (próximo ao Sesi)             03 castanholeiras