Publicidade
Amazônia
aranhas sociais

Fenômeno de teias de aranhas que encobrem galhos de árvores no interior do AM continua

Animais mantém ocupação de árvores frutiferas numa fazenda localizada no município da Região Metropolitana de Manaus 02/03/2012 às 08:18
Show 1
As teias formadas pelas aranhas sociais cobrem a copa de uma mangueira como se fossem um manto branco
Ana Célia Ossame Iranduba

Apesar do proprietário do sítio ter tentado afastá-las mandando fazer a poda de alguns galhos de uma mangueira, as “aranhas sociais” continuam cobrindo com suas teias as copas de quatro pés da fruteira, além da vegetação rasteira e as cercas não só da fazenda, mas também as próximas a ela.

A reportagem de A CRÍTICA voltou ao Município de Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) e constatou que a “ocupação” das árvores continua. Desta vez foi possível identificar dezenas de aranhas numa das plantas em frente ao sítio das mangueiras.

A estudante de entomologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Lidianne de Souza, foi ao local após a divulgação da reportagem do jornal A CRÍTICA, no dia 10 de fevereiro, mostrando o fenômeno e recolheu amostras das plantas. Mas segundo ela, só será possível saber se as árvores sobreviverão daqui a um mês quando será feita nova avaliação. A podagem pode levá-las a se transferir para outras árvores, por isso não é possível ainda saber o que acontecerá.

MANTO BRANCO

O manto branco tecido pelas teias é formado pelos fios finíssimos produzidos pelas “aranhas sociais”, do gênero anelosimus da família Therediidae, segundo informou a doutora Ana Lúcia Tourinho, do Inpa. Elas são chamadas “aranhas sociais” por formarem colônias, podendo reunir até 1.000 indivíduos para tecer essas teias nas árvores, explicou a especialista.

 O trabalhador do sítio, que não quis se identificar, disse que as pequenas aranhas não picam, mas o contato com as teias, que são bem resistentes, provoca coceira. Ele, no entanto, disse que só o proprietário do terreno poderia falar se haverá a aplicação de algum tipo de defensivo agrícola para combater a infestação das aranhas ou se as árvores serão novamente podadas.