Publicidade
Amazônia
Amazônia

Filhote de peixe-boi morre após ser resgatado no Amazonas

Filhote tinha ferimentos de arpão no corpo; uma necropsia será feia para apontar o que teria motivado a morte do mamífero 05/10/2012 às 08:47
Show 1
O veterinário Anselmo D’Affonseca mostra os ferimentos encontrados no corpo do peixe-boi resgatado na terça-feira
Milton de Oliveira ---

O filhote de peixe-boi de aproximadamente um metro de comprimento, resgatado na quarta-feira (03),pelo Batalhão de Policiamento Ambiental do Amazonas (BPAMB), no Município de Manaquiri (a 65 quilômetros de Manaus), chegou sem vida ao Laboratório de Mamíferos Aquáticos do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (LMA-Inpa), no Bosque da Ciência, Zona Sul. Somente este ano, sete mamíferos foram resgatados pela instituição.

De acordo com o veterinário responsável do LMA-Inpa, Anselmo D’Affonseca, o peixe-boi é alvo do comércio ilegal de carnes de mamíferos no Amazonas. O veterinário suspeita de que o filhote tenha sido morto devido aos ferimentos oriundos de arpão de pescadores.

Ainda conforme o veterinário, a carne é muito apreciada pela população do interior e também da capital, e pode ser encontrada, de forma clandestina, em feiras de vários municípios do Estado. Na capital, ela chega, normalmente, por encomenda. “A morte do filhote é um caso atípico porque, geralmente, os caçadores não matam a cria, que é o principal motivo de atração de outros mamíferos”, disse.

Hoje, segundo o veterinário Anselmo D´Affonseca, o espaço do animal está limitado. “Nesse período, o problema maior é a seca, que limita o espaço para o mamífero, criando uma situação de locais restritos e desfavoráveis a ele”, disse.

Segundo o Inpa, o mamífero passará por necropsia para identificar as causas da morte e será colocado à disposição da coleção de mamíferos aquáticos do instituto para estudo. Segundo ele, o peixe-boi está na lista dos mamíferos que correm o risco de extinção.

Proximidade

Segundo a Associação Amigos do Peixe-Boi (Ampa), os caçadores de mamíferos podem morar próximos às comunidades que fazem a denúncia. “O peixe-boi é um animal dócil, carismático e tem a carne bastante procurada. Então, há suspeitas de que os matadores morem perto das comunidades que ajudam a resgatar o filhote”, disse a bióloga Isabel Reis.