Publicidade
Amazônia
Cotidiano,Polícia,Violência Sexual,exploração sexual infanto-juvenil,Pedofilia,Índios,Crianças Indígenas,São Gabriel da Cachoeira,MPF/AM,MPE/AM,Seas,Sejus,SSP/AM,Seind,Funai,Gabinete de Gestão Integrada,Alto Rio Negro

Grupo de Trabalho pretende combater a exploração sexual infantil no interior do AM

Ação diz respeito as denúncias de que uma rede de pedofilia se instalou no município de São Gabriel da Cachoeira, onde meninas e adolescentes indígenas são as principais vítimas 24/09/2012 às 14:41
Show 1
Descaso com crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual resultou em procedimento do MPF-AM
acritica.com ---

Após o anúncio do Ministério Público Federal (MPF) do Amazonas de ter instaurado um inquérito civil para investigar as denúncias da existência de uma rede de exploração sexual de adolescentes indígenas em São Gabriel da Cachoeira – município localizado a 858 quilômetros de Manaus -, conforme reportagem da jornalista Elaíze Farias publicada no Portal acritica.com e no jornal A Crítica, no último dia 8 de setembro, o Governo do Amazonas também montará um grupo de trabalho no local.

Integrado por representantes das Secretarias de Estado da Assistência Social e Cidadania (Seas), Segurança Pública (SSP), dos Povos Indígenas (Seind) e Gabinete de Gestão Integrada (GGI), em parceria com Polícia Federal, o Ministério Público do Estado (MPE-AM) e da União (MPF-AM), será elaborar uma campanha especial de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes indígenas em São Gabriel da Cachoeira.

Reunião
Nesta segunda-feira (24), será realizada uma reunião com todos os órgãos de segurança federal e do Estado para a elaboração das estratégias da ação, que também terá a participação de representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), Juizado da Infância e Juventude e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca).

“Queremos saber qual o trabalho que cada órgão de segurança ou fiscalizador da lei está fazendo para que essa situação no Alto Rio Negro seja enfrentada. E vamos oferecer e reforçar atendimentos psicossociais às crianças vítimas de pedofilia e às suas famílias”, disse Nádia Lúcia, secretária executiva adjunta da Secretaria de Assistência Social e Cidadania do Estado do Amazonas.