Publicidade
Amazônia
Amazônia

Indígenas terão cartilha em língua tikuna sobre prevenção às DSTs

Pela primeira vez, indígenas terão cartilha sobre prevenção às DSTs e divulgação dos diretos da mulher na língua nativa 10/10/2012 às 08:44
Show 1
A cantora Djuena Tikuna fechou o evento, em Brasília, entoando o Hino Nacional na lingua falada por 30 mil indígenas
Ana Celia Ossame ---

Levar informações sobre a prevenção a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e Aids, além da sensibilização contra a violência à mulher e a promoção da igualdade de gênero estão entre os temas do material da campanha “Mulheres e Direito”, lançada nesta terça-feira (09), em Brasília. A novidade é que pela primeira vez o material será em língua tikuna, falada por cerca de 30 mil indígenas do Amazonas, além do português, inglês e espanhol.  A cantora indígena Djuena Tikuna participou do evento cantando o Hino Nacional na lingua tikuna.

Para a médica dermatologista Adele Benzaken, da Fundação Alfredo da Matta, que estava no evento, com a cartilha será mais fácil levar mais informações às comunidades indígenas dessa etnia vulneráveis às DSTs.

Presente no evento promovida pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), ONU/Mulheres e União Europeia, Adele informou que nos próximos meses o lançamento será na região do Alto Solimões, onde vive a população tikuna. A campanha tem o apoio do Governo do Estado do Amazonas por meio do Plano Integrado da ONU em apoio à Resposta à Aids nos estados do Amazonas e na Bahia (Amazonaids), que é coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan). De acordo com informações desta secretaria, as estratégias do Amazonaids estão centradas na promoção do acesso universal ao diagnóstico e tratamento, promoção a saúde e prevenção das DSTs e fortalecimento dos movimentos sociais.

O Grupo Gestor (GG) inclui, além de representantes dos governos federal, estadual e municipais, sociedade civil – representada pelo Fórum de ONG/Aids do Estado, a coordenação técnica da Sociedade Brasileira de DST Regional Amazonas (SB DST Regional AM/Fuam) e pela Fundação Alfredo da Mata (Fuam).

AMAZONAIDS

O Amazonaids, de acordo com Adele, vem realizando desde 2008, nas áreas de abrangência do programa, testes rápidos de diagnósticos de sífilis e HIV nas Unidades Básicas de Saúdes. Além disso, promove cursos para profissionais da saúde e do serviço social nos três municípios do Alto Solimões, Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus), Benjamin Constant (a 1.118 quilômetros) e Atalaia do Norte (a 1.138 quilômetros), e oficinas de sensibilização de adolescentes indígenas nas área de saúde, cidadania e prevenção de DST e HIV complementam as intervenções junto a essas populações.

Outro ponto importante da campanha  é a valorização da contribuição da Lei Maria da Penha e da rede de serviços de atendimento às mulheres em situação de violência no Brasil.