Publicidade
Amazônia
Amazônia

Inpa recebe proposta de cooperação para projeto sustentável de madeira em Maraã

O projeto, realizado há um ano e nove meses, usa madeira certificada para produção de violões confeccionados por adolescentes do município. Três secretários da cidade participaram de reunião com pesquisadores do Inpa na manhã desta quinta-feira (21) 21/02/2013 às 18:45
Show 1
Projeto visa uso racional da madeira como forma de geração de renda
Ascom Inpa ---

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) recebeu na manhã desta quinta-feira (21) uma proposta de cooperação técnico-científica para a ampliação de um projeto que usa madeira certificada para a produção de violões no município de Maraã, interior do Amazonas.  O projeto, apresentado por uma comitiva de três secretários do município aos pesquisadores do Instituto, consiste no uso racional da madeira como forma de geração de renda, além promover a formação de jovens na confecção de instrumentos musicais. 

De acordo como diretor substituto do Inpa, Estevão Monteiro de Paula, a iniciativa do município em apresentar a proposta se dá pelas pesquisas na mesma área que o Instituto já desenvolve. “Isso é o resultado do trabalho que o Inpa realiza em outros municípios do Amazonas como Manacapuru e Iranduba, o que está chamando a atenção de secretários de outros municípios. Eles estão pedindo para que o Inpa estenda essa ação para as suas cidades. A procura é o fruto da pesquisa científica aplicada, o que é extremamente gratificante”, disse.

Até o fim do ano passado, 25 alunos da rede pública de ensino concluíram o curso em Maraã produzindo 60 violões. Segundo a secretária de finanças do município, Gleiciane Silva, a busca de parceira com o Inpa tem o objetivo de melhorar a estrutura do projeto.

Prevenção

Já o luthier responsável pelo projeto, Edson Ribeiro, afirmou que a cooperação aproxima ciência da educação. “O projeto viabiliza a confecção de instrumentos de qualidade, a socialização dos jovens, além de fomentar o ensino da música. O projeto também ocupa o tempo dos adolescentes”, afirmou.

Ribeiro disse que o preço do violão produzido pelo projeto é de R$ 600. Ele avalia o valor como competitivo levando em consideração a qualidade da madeira e o trabalho artesanal: “O violão é feito a mão e a madeira é de qualidade. Por isso estamos buscando parceria com o Inpa para ter o braço da tecnologia e melhorar nossa produtividade”.

Segundo a pesquisadora do Inpa, Claudete Catanhede, o Instituto dará apoio científico ao projeto. "A colaboração consiste em ampliar a produção de violão, formar mão-de-obra para Lutheria e colaborar na geração de renda local", disse.