Publicidade
Amazônia
Cotidiano,Política,Biotecnologia,pesquisa,CBA,Suframa,SECT/AM,PIM

Institucionalização do CBA deve sair até o final do primeiro semestre deste ano a definição da identidade jurídica do CBA

O anúncio foi feito nessa segunda pelo superintendente da Suframa, durante a visita de deputados estaduais e federais do Amazonas ao CBA 17/04/2012 às 08:55
Show 1
Superintendente da Suframa fala aos parlamentares sobre as propostas para
acritica.com Manaus

Até o final do primeiro semestre deste ano o Governo Federal deverá concluir a definição da identidade jurídica do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) com a criação da empresa pública que ficará responsável pela gestão do órgão.

O anúncio foi feito nessa segunda-feira (17), pelo superintendente da Zona Franca de Manaus, Thomaz Nogueira, durante a visita de deputados estaduais e federais do Estado do Amazonas ao Centro, localizado no Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus.

A visita, organizada pela Secretaria de Ciência e Tecnologia do Amazonas (SECT) em parceria com a Suframa, teve o objetivo de apresentar à sociedade um panorama atual do CBA, fornecendo detalhes sobre sua infraestrutura, projetos em desenvolvimento e principais dificuldades operacionais.

Segundo Thomaz Nogueira, já existe uma minuta de Projeto de Lei referente à criação da empresa pública que gerenciará o CBA em tramitação no Governo Federal e a Suframa está também, no momento, fornecendo subsídios para que sejam definidas diretrizes do modelo de gestão do Centro, dentre as quais questões como as formas de financiamento e captação de recursos, o ministério ao qual o órgão ficará vinculado diretamente e também a seguridade do vínculo profissional com seus funcionários.

Nogueira fez questão de ressaltar que o Governo Federal tem dado prioridade à resolução da institucionalização do CBA e que o estabelecimento da natureza jurídica do órgão será o principal passo para que ele ganhe plena autonomia em seus processos e possa se transformar no centro biotecnológico de agregação de valor aos produtos e insumos amazônicos nos moldes em que foi projetado.

“É válido destacar que o CBA tem funcionado e desenvolvido projetos relevantes nos últimos anos, mas que por falta dessa indefinição em sua gestão, ainda não conseguiu caminhar sozinho. A Suframa trabalha com uma missão e com um deadline e estamos otimistas de que no curto prazo essa solução seja encaminhada", disse.

O secretario de Ciência e Tecnologia do Amazonas, Odenildo Sena, disse que a ideia de realizar a reunião com os parlamentares amazonenses na sede do CBA teve o propósito de possibilitar a eles que conhecessem pessoalmente a realidade da instituição, a fim de que somem forças para auxiliar na solução dos problemas enfrentados pelo Centro.

"O CBA está perto de completar dez anos de sua criação e é preocupante que uma estrutura desse porte, com tantos laboratórios e muitos deles únicos na região, ainda não esteja funcionando devido à ausência de uma ‘certidão de nascimento’. Precisamos trabalhar coletivamente para que essas definições sejam feitas com urgência e esse órgão, de tamanha relevância para a Amazônia e para o Brasil, funcione efetivamente", afirmou Sena.

Estiveram presentes na reunião os superintendentes adjuntos de Projetos da Suframa, Gustavo Igrejas, de Planejamento e Desenvolvimento Regional, José Nagib, e de Operações, José Adilson, assim como os deputados da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) Abdala Fraxe, Marcelo Ramos, José Ricardo, Sidney Leite, Conceição Sampaio, Chico Preto, Luiz Castro, bem como o deputado federal Carlos Souza.

Questionamentos
Além de aproveitarem para fazer questionamentos e retirar dúvidas principalmente sobre tópicos como as atividades do Centro e seus resultados até o momento, a interação com a sociedade e as potencialidades futuras de atuação, todos os parlamentares reconheceram em suas falas a importância estratégica do CBA para a região.

Os parlamentares sugeriram também, entre outras propostas, a realização de uma audiência pública em Brasília para dar agilidade às discussões visando à criação da empresa pública e também a redação de um manifesto em conjunto com entidades empresariais locais para dar sustentação política às solicitações pela urgência na definição da identidade jurídica do Centro.

O superintendente Thomaz Nogueira pediu também que os pesquisadores e coordenadores laboratoriais do CBA fizessem uma breve apresentação do funcionamento de suas unidades e os principais projetos em desenvolvimento. Os pesquisadores José Augusto Cabral, coordenador de Produtos Naturais, Maria Luiza Ricart, do Núcleo de Produção de Extratos e Planta de Processos Industriais; Célia Simonetti, do Núcleo de Informação Biotecnológica; Massayoshi Yoshida, da Central Analítica; Rudi Procópio, da Microbiologia Tetsuo Yamane, de Biologia Molecular, Antônio José Lapa, de Farmacologia e Toxicologia e Aline Lauria, da Administração; auxiliaram também nas respostas aos diversos questionamentos feitos pelos deputados.

Ao final da reunião, os parlamentares ainda visitaram os laboratórios de Química de Produtos Naturais e Culturas de Tecido, Cromatografia e Análise Analítica.