Publicidade
Amazônia
PROJETO ATTO

Maior torre de estudos climáticos do mundo deve operar efetivamente no 2º semestre

Os equipamentos que servirão para monitorar os dados sobre a interação do clima da floresta amazônica e a atmosfera ainda estão sendo instalados 09/03/2017 às 05:00
Show inpa
O físico Paulo Artaxo avalia que Torre Atto é um dos principais projetos do Inpa. Foto: divulgação/Inpa/MCTIC
Silane Souza Manaus (AM)

O Observatório de Torre Alta da Amazônia (Atto, na sigla em inglês), maior torre de estudos climáticos do mundo, deve começar a operar efetivamente a partir do próximo semestre. Os equipamentos que servirão para monitorar os dados sobre a interação do clima da floresta amazônica e a atmosfera ainda estão sendo instalados, de acordo com o coordenador brasileiro do projeto, Niro Higuchi. 

Mas, desde ontem, pesquisadores brasileiros e alemães estão reunidos para mostrar os primeiros resultados do projeto. O workshop será realizado até hoje no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), em Manaus. “Este evento é uma prestação de conta do projeto no ponto de vista científico dos resultados obtidos até agora com as duas torres menores”, explicou Higuchi.

Conforme o pesquisador do Inpa, o projeto Atto é composto de uma torre de 325 metros e outras duas de 80 metros. “No futuro provavelmente haverá quatro torres de 80 metros”, revelou. “O projeto em si realmente começa com o funcionamento da torre de 325 metros. Talvez, no segundo semestre, ela esteja em pleno funcionamento, o que chamamos de uma segunda fase do Atto”, disse. As duas torres de 80 metros estão funcionando desde 2012.

A ciência brasileira em conjunto com a ciência internacional está trabalhando na tentativa de coletar dados para melhorar os modelos climáticos. Higuchi destacou que os resultados obtidos com as torres de 80 foram muito bons e bem aceito pelo sistema. “Essa migração de 50 para 80 metros realmente produz efeitos espetaculares”, afirmou. A expectativa é que com a torre de 325 metros os dados sejam ainda melhores.

Intercâmbio
Para o presidente do comitê científico do Programa de Grande Escala Biosfera-Atmosfera  na Amazônia (LBA), Paulo Artaxo, o Atto é hoje um dos principais projetos científicos que o Inpa está executando. “O workshop é importante porque proporciona esse momento de discussões entre pesquisadores brasileiros e alemães com cada um mostrando os resultados de suas pesquisas para os demais e trocando ideia sobre as novidades do projeto”, apontou. 

A torre Atto é um consórcio entre o governo brasileiro e alemão, executado pelo Inpa, Unidade de Pesquisa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC).

Torre tem 325 metros de altura
Com 325 metros de altura, o Observatório de Torre Alta da Amazônia (Atto) está localizado no meio da maior floresta tropical, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã (a 150 quilômetros de Manaus), no município de São Sebastião do Uatumã.  

Instalada numa área livre de qualquer tipo de poluição, a torre vai monitorar o clima na região amazônica, por um período de 20 a 30 anos, a partir da coleta de dados sobre os processos de troca e transporte de gases entre a floresta e a atmosfera. 

O Observatório da Torre Alta da Amazônia foi inaugurado em agosto de 2015, após um ano de construção no meio da floresta.