Publicidade
Amazônia
Amazônia

Manaus e municípios do interior do Amazonas estão se adaptando a cheia dos rios

Manaus, Careiro da Várzea e Anamã vão se adaptando aos desafios impostos pela subida das águas do Negro e Solimões 30/05/2012 às 07:05
Show 1
Com as águas do lago de Anamã invadindo tudo, o rebanho fica no curral e as famílias abandonam as moradias
Carolina Silva e Maria Derzi Manaus

A cheia dos rios Negro, em Manaus, e Solimões nos Municípios de Anamã (a 168 quilômetros de Manaus) e Careiro da Várzea (a 29 quilômetros), trouxe nesta terça-feira (29) uma nova rodada de transtornos para moradores e autoridades.

Enquanto na capital trânsito e transporte na região do Centro sofreram grandes modificações, no Careiro a briga foi por mais recursos do programa Amazonas Solidário. Em Anamã, o desafio foi alugar barcos para abrigar as famílias retiradas de suas casas.

A contrário do Careiro da Várzea, onde a Defesa Civil  abrigou as famílias em balsas, nas duas áreas mais afetadas de Anamã duas mil famílias foram morar em barcos alugados.

Em cada um deles foram  alocadas até 25 famílias. “Nós já estamos com sete barcos alugados. Elas estão recebendo alimentação, abrigo e o necessário para sua sobrevivência”, disse o prefeito do município, Jecimar Pinheiro Matos (PSD).

A estimativa é de que os desabrigados fiquem por até um  mês e meio nos barcos. A  maioria da população  permaneceu nas casas  vivendo em marombas. Nas ruas, as famílias usam canoas doadas pela prefeitura.

Amazonas solidário
O Município de Careiro da Várzea  espera receber mais 1,5 mil cheques do Governo do Estado para atender as famílias afetadas pela enchente. De acordo com a Defesa Civil do Careiro da Várzea, cerca de 4,5 famílias foram atingidas diretamente pela cheia do rio Solimões, mas o município foi contemplado, até o momento, com 2.681 cheques no valor de R$ 400, cada.

“Já entregamos essa primeira remessa que solicitamos quando o município estava em situação de emergência. Agora, em estado de calamidade pública, solicitamos mais benefícios ao governo e esperamos que sejam concedidos 1,5 mil cheques. Mas não temos previsão de quando essa ajuda será entregue ao município”, disse o  chefe da Defesa Civil de Careiro da Várzea, Carla Duarte. O município está com 95% de seu território alagado.