Publicidade
Amazônia
Amazônia

Marinha do Brasil encerra inspeção de embarcações no rio Madeira

Ação é para impedir que dragas continuassem prejudicando a passagem de comboios de comboios de embarcações e para garantir a segurança na navegação 07/02/2012 às 13:15
Show 1
Operação Madeira, realizada pela Marinha do Brasil
acritica.com Manaus

Após quase 15 dias de operação, a Marinha do Brasil encerra nesta quinta-feira (09) a terceira inspeção de embarcações no rio Madeira, com a chegada do Navio-Patrulha Fluvial “Roraima”, em Manaus.

Esta foi a terceira edição da Operação Madeira, iniciada em outubro de 2011, após denúncias recebidas pela Marinha de que dragas estariam obstruindo a passagem de comboios de embarcações grandes, entre empurradores e balsas. A maioria destas dragas é usada para extração de ouro no rio Madeira.

Neste período, a Marinha, por meio do Comando do 9º Distrito Naval, atuou para garantir a segurança da navegação, além de patrulhar as embarcações com foco nas dragas.

A nova operação foi realizada desde o último dia 27 de janeiro, em Rondônia. Foram inspecionadas 298 embarcações – entre elas, 159 dragas. Destas, 46 foram notificadas e 26 foram apreendidas.

Durante as abordagens, os Inspetores Navais realizaram palestras, orientando os operadores das dragas e os condutores de outras embarcações sobre os procedimentos para se regularizarem, além de instruções sobre a segurança da navegação.

A atividade extrativista mineral nos rios não foi impedida pela MB, por ser uma questão social e econômica da região.

Porém, foi concedido aos proprietários dessas embarcações  envolvidas   nesta   atividade um prazo de 90 dias para a devida regularização junto à Marinha do Brasil sem o prejuízo do licenciamento requerido por outros órgãos nas esferas federal, estadual ou municipal.

Segundo a Marinha, durante o período de cheia do rio, o extrativismo mineral se torna mais escasso, em virtude  do  aumento  da  profundidade  para  dragagem, da   forte correnteza e dos troncos trazidos pelo rio, que podem causar severas avarias a essas frágeis embarcações, que têm em grande parte seu uso familiar.

As informações são da assessoria de comunicação do do Comando do 9º Distrito Naval.