Publicidade
Amazônia
Cotidiano,Meio Ambiente,Desmatamento,Imazon, Amazônia Legal

Mato Grosso é o estado da Amazônia Legal que mais desmatou, aponta estudo

Dados do Imazon dão conta de que em fevereiro deste ano, o Estado desmatou 65% de floresta 19/03/2012 às 15:41
Show 1
Área desmatada em Mato Grosso para a plantação de soja
acritica.com Manaus

O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) registrou um aumento de 59% de desmatamento na Amazônia Legal em fevereiro de 2012, em relação ao mesmo período do ano passado. Um total de 107 quilômetros quadrados de floresta foram desmatado no mês passado.

Os dados são do Imazon e foram divulgados na tarde desta segunda-feira (19), pela entidade.  

No período de agosto de 2011 a fevereiro deste ano, o desmatamento acumulado foi de 708 quilômetros quadrados, o que conforme o Imazon, reflete uma redução de 23% em relação ao mesmo do ano passado, ocasião em que houve um desmate de 922 quilômetros quadrados.   

Mais da metade do desmatamento verificado pelo SAD, em fevereiro deste ano ocorreu no Estado de Mato Grosso – 65% -, seguido de Rondônia, com 12%; Amazonas (10%), Pará e Roraima (7% cada).  

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram somente 95 quilômetros quadrados em fevereiro de 2012. Em comparação a fevereiro de 2011, quando a degradação florestal somou 112 quilômetros quadrados, houve redução de 15%.  A maioria (70%) ocorreu em Mato Grosso seguido por Rondônia (15%), Roraima (9%), Pará (5%) e Amazonas (1%).

A degradação florestal acumulada foi 1.528 quilômetros quadrados para o período de agosto de 2011 a fevereiro 2012. Em relação ao período anterior (agosto de 2010 a fevereiro de 2011), quando a degradação somou 3.814 quilômetros quadrados, houve redução de 60% .

Em fevereiro de 2012, o desmatamento detectado pelo SAD comprometeu 6,6 milhões de toneladas de CO2 equivalente.  No acumulado do período (agosto 2011 - fevereiro de 2012) as emissões de CO2 equivalentes comprometidas com o desmatamento totalizaram  47 milhões de toneladas, o que representa  uma redução de 14% em relação ao período anterior (agosto de 2010 a fevereiro de 2011).

Foi possível monitorar com o SAD somente 24% da área florestal na Amazônia Legal em fevereiro de 2012. Os outros 76% estavam cobertos por nuvens o que dificultou o monitoramento na região.