Publicidade
Amazônia
Amazônia

Maués (AM) decreta situação de emergência por conta da cheia

A Prefeitura do município criou um programa denominado planejamento participativo, que visa com que as comunidades rurais de terra firme e várzea apresentem prioridades para que Prefeitura realize ações em suas localidades 05/05/2012 às 09:47
Show 1
Na zona rural as localidades mais afetadas são: Divino Espírito Santos, Nossa Senhora Aparecida, Jesus me deu, Nossa Senhora de Fátima, São Paulo e São João
JONAS SANTOS Parintins

O Município de Maués (a 257,74 quilômetros de Manaus) decretou neste sábado (5), situação de emergência por conta da cheia do rio Maués-Açú.

De acordo com a Defesa Civil do município, 66 comunidades rurais foram atingidas e três bairros afetados na área urbana, inclusive o Centro. A escola Jandira Mackombi está servindo de abrigo para os flagelados. Lá estão alojadas 19 famílias. A enchente recorde de 2012 já atinge 38 municípios amazonenses e mudou a rotina de 74 mil famílias em todo o Amazonas.

O decreto foi assinado pelo prefeito Miguel Paiva Belexo (PSD) que se deslocou para a zona rural de Maués levando mantimentos às comunidades. Na escola, os desabrigados ganharam colchões, cestas básicas e recebe visitas de médicos, assistentes sociais e psicólogos, informou a coordenadora municipal de Defesa Civil, Meirilane Silva, que está em Manaus, e amanhã apresentará o relatório da situação dos estragos da enchente na terra do Guaraná a coordenação Estadual de Defesa Civil.

A orla de Maués, também está sendo atingida e a praia da Maresia ficou completamente no fundo. Na frente na cidade, próximo ao mercado central, residências estão sendo invadidas pelas águas.  “Estaremos entregando os relatórios de avaliação de danos e ações emergenciais a Defesa Civil Estadual”, disse Meirilane.

Os bairros atingidos são o Mirante do Edém, senador José Esteve e o Centro. Na zona rural as localidades mais afetadas são: Divino Espírito Santos, Nossa Senhora Aparecida, Jesus me deu, Nossa Senhora de Fátima, São Paulo e São João.

De acordo com a coordenadora, a reserva indígena do Rio Maraú, dos índios sateré-maué não está padecendo com a enchente porque fica localizada em área de terra firme. “Nossa estimativa é de que em dez dias a Defesa Civil Estadual vá a Maués realizar a entrega dos cartões Amazonas Solidário e ajuda humanitária para as famílias cadastradas”, completou a coordenadora municipal. Os cartões do governo estão creditados no valor de R$ 400.

A secretária de Governo, Andréa Santos, informou que a Prefeitura criou um programa denominado planejamento participativo, que visa com
que as comunidades rurais de terra firme e várzea apresentem prioridades para que Prefeitura realize ações em suas localidades. “O
prefeito se encontra na região do Parauari realizando ações da Prefeitura e também visitando as localidades atingidas pela enchente do rio”, disse a secretária.