Publicidade
Amazônia
Amazônia

Moradores fazem manifestação pedindo mais segurança na Zona Sul de Manaus

Segundo os participantes, o objetivo era chamar a atenção da sociedade para o aumento da violência no bairro 17/01/2012 às 20:29
Show 1
Carreata com 50 veículos seguiu em cortejo para o enterro do empresário Sólon Ferreira de Souza, 71, no cemitério São Francisco, Morro da Liberdade
Maria Derzi Manaus

Na tarde desta terça-feira (17), uma extensa carreata em protesto contra a violência parou o bairro de Educandos, na Zona Sul de Manaus. Mais de 50 veículos foram reunidos para prestar as últimas homenagens ao empresário Sólon Ferreira de Souza, 71, assassinado com três tiros durante uma tentativa de roubo dentro de sua própria casa.

Segundo os participantes, o objetivo era chamar a atenção da sociedade para o aumento da violência no bairro. Somente nos últimos cinco dias, dois casos de homicídios com arma de fogo foram registrados no bairro. A onda de assassinatos provocou a revolta dos moradores com a falta de segurança.

A carreata seguindo o cortejo saiu da frente da Igreja Católica Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e percorreu as principais ruas do bairro. Durante 30 minutos, parentes e amigos do comerciante prestaram suas homenagens.

O cortejo seguiu para o cemitério São Francisco, no bairro Morro da Liberdade, onde uma multidão chegou para homenagear o empresário. Inconsoláveis, os parentes rezaram e cantaram  a música preferida de Sólon. Durante o enterro, faixas pedindo justiça para o  caso do empresário e mais segurança para o bairro foram hasteadas para lembrar o crime que ainda está sob investigação.

“Era um cara batalhador, um pai de família exemplar. Isso não pode ficar impune. O Sólon era amigo, querido no alto Educandos e sempre fazia a festa de São Sebastião. Todo mundo gostava dele. A gente pede para o governador e a prefeitura ver essa questão da segurança do bairro. A gente sabe que tem criminalidade em todo lugar, mas achamos que a polícia tem que tomar providências o mais rápido possível”, disse o amigo Alcimar Fernandes, soldador.

Rixa
Uma moradora do bairro, que preferiu não se identificar, disse que percebeu um aumento nos casos de violência nos últimos dois anos.

“Sabemos que muita gente que foi retirada pelo Prosamim passou para o bairro do Educandos. Muita gente ruim que, é sabido,  era envolvida com tráfico de drogas, assaltos e assassinatos no outro bairro de onde veio e agora se estabeleceu no nosso bairro, que era pacato. Essas pessoas estão tomando conta de tudo e todos os dias tem uma morte por aqui”, finalizou.

Além da morte do empresário, uma mulher foi assassinada no domingo, 15, em plena luz do dia, por um motoqueiro que, após cometer o crime, saiu tranquilamente em sua moto. 

Pedido de reforço junto à SSP-AM
O presidente da Associação do Bairro do Educandos, João Lima, era amigo pessoal do empresário Solon de Souza. Foi ele, juntamente com demais empresários, que organizou a carreata de protesto contra a violência. “A falta de segurança aqui é constante. Agora, sofremos a perda do nosso amigo Sólon. O bairro em peso chora a morte dele”, falou emocionado.

João Lima disse que a violência aumentou com a chegada de moradores de outros bairros. “Há policiamento, mas ainda é muito pouco. A marginalidade de onde chamamos de Bodozal migrou toda para cá. Tem assalto e tráfico de drogas todos os dias. Só nestes dias tivemos dois homicídios aqui no bairro. Nós vamos ingressar com um pedido para reforçar a segurança junto à Secretaria de Segurança”, avisou.

Pistas
O empresário foi baleado com três tiros  durante uma tentativa de assalto, às 3h de segunda-feira, 16, dentro da própria casa, no Boulevard Sá Peixoto, bairro Educandos. Dois pares de calçados masculinos e um feminino foram encontrados no local. A polícia também avalia as imagens da câmera de segurança que fazia a cobertura da área. Os criminosos permaneceram 17 minutos na casa e fugiram assim que realizaram os disparos.