Publicidade
Amazônia
Amazônia

Mortandade de peixes aumenta poluição em rios e lagos, de onde famílias foram socorridas

Ao menos 100 famílias de oito comunidades do município amazonense de Manquiri ficaram prejudicadas em decorrência da poluição dos lagos 26/11/2015 às 20:38
Show 1
Mortandade de peixes levou poluição ao lagos. Para socorrer as famílias, agentes da Defesa Civil distribuem água potável
Náferson Cruz Manaus (AM)

Por conta da mortandade de peixes ocorrida no início da segunda quinzena deste mês, no município de Manaquiri (a 65 quilômetros de Manaus), ao menos 100 famílias de oito comunidades ficaram prejudicadas, em decorrência da poluição dos rios e lagos, onde os peixes foram encontrados mortos.

Para suprir a necessidade das famílias, que não podem usufruir das águas dos lagos, considerados inaptos para o uso humano, na  quarta-feira (25),   a Defesa Civil do Estado deu início a  distribuição de sete mil litros de água potável, por um período de sete dias, podendo se estender por mais tempo.

Também está sendo entregue às famílias, cinco mil frascos de hipoclorito de sódio, para a purificação de água oriunda de poços (cacimbas). As primeiras comunidades contempladas com o apoio do órgão foram Barro Alto e Punção. “Com a mortandade dos peixes, a única fonte de abastecimento de água dos ribeirinhos das comunidades de Manaquiri, ficou contaminada e a nossa meta e garantir água potável a população e inibir a proliferação de doenças de veiculação hídrica, como as diarreias”, enfatizou o Secretário Adjunto do órgão, Hermógenes Rabelo.

Causa para as mortes

A Defesa Civil informou ainda que a  causa da mortandade dos peixes foi o baixo nível das águas  devido à vazante dos rios da bacia amazônica  e que não caracteriza situação de emergência. Apesar do impacto, segundo a análise do Centro de Monitoramento do órgão, o desastre é de curta duração, já que o rio Solimões está em processo de transição entre a vazante e a enchente, garantindo assim o retorno da normalidade social.

Prejuízos

Durante o percurso entre a boca do Paraná do Manaquiri, que é um afluente do rio Solimões, até a comunidade de Araçatuba, pescadores ligados ao Sindicato dos Pescadores (SindPesca), Colônia Z-51,  encontraram muitos peixes mortos, uma estimativa de  25 mil toneladas,  das espécies: tambaqui, piramutaba, pirarucu, pescada, tucunaré e bodó. A mortandade de peixes na região atinge 889 pescadores de 27 comunidades.

A mortandade de peixes na região do Paraná do Manaquiri, também ocorreu durante as vazantes dos anos de 2005, 2009, 2010 e 2012. A Defesa Civil informou ainda que o  levantamento nas áreas afetadas continua a ser feito pelos   agentes do órgão e, que, possivelmente,  o registro de famílias prejudicadas pela mortandade dos peixes tende a  aumentar nos próximos dias.

Em números

8 comunidades da área rural de Manaquiri  estão sendo afetadas com a morte dos peixes, segundo agentes da Defesa Civil. São elas: Costa do Aruanã, Estadual, Paraná do Manaquiri, Barroso, Costa do Barroso, Ilha do Barroso, Jaraqui, Poção e Igarapé-Açu.