Publicidade
Amazônia
Amazônia

Navio do Greenpeace aporta em Manaus a dois dias do Fórum Mundial de Sustentabilidade

A chegada do Rainbow Warrior à capital do Amazonas deve marcar o início da campanha nacional da ONG pela Lei do Desmatamento Zero, que precisa de 1,4 milhão de assinaturas para ser levada ao Congresso 20/03/2012 às 10:56
Show 1
O navio Rainbow Warrior, do Greenpeace
acritica.com Manaus

A dois dias do início do Fórum Mundial de Sustentabilidade, sediado em Manaus entre os dias 22 e 24 de março, o navio Rainbow Warrior, feito especialmente para as campanhas do Greenpeace, aporta pela primeira vez no porto da Manaus Moderna, no Centro da capital amazonense, para dar início a um ‘tour’ em defesa de uma campanha pela Lei do Desmatamento Zero.

O navio ancorou no porto do Centro de Manaus na manhã desta terça-feira (20), mas só na quinta-feira, 22, deve ser o palco do lançamento da Campanha Nacional pela Lei do Desmatamento Zero, que deve percorrer a Amazônia e o litoral brasileiro em busca de 1,4 milhão de assinaturas para tentar submeter o projeto de lei ao Congresso Nacional.

O tour pelas águas brasileiras só deve acabar em junho deste ano, no Rio do Janeiro, às vésperas do maior evento climático mundial, o Rio +20.

O lançamento da campanha nacional do Greenpeace deve contar com a presença dos diretores internacional - Kumi Naidoo -, nacional – Marcelo Furtado -, e regional – Paulo Adario – do Greenpeace. E ainda coincidir com abertura do Fórum Mundial de Sustentabilidade, que começa no mesmo dia e pode dar ainda mais visibilidade ao ato do Greenpeace.

Visitação

O navio do Greenpeace deve permanecer aportado no Centro de Manaus até o próximo fim de semana, quando será aberto à visitação pública. Durante o ‘Open Boat’, o público poderá visitar o Rainbow Warrior guiado por voluntários.

Numa tenda externa, também será montada uma exposição de fotos que contará um pouco da história do Greenpeace e de seus objetivos.

Primeira incursão

Mais novo navio da frota Greenpeace, o Rainbow Warrior visita pela primeira vez o Brasil em uma expedição de mais de três meses que comemora os vinte anos da organização no país.

O Rainbow Warrior ficará no Brasil até 5 de julho e passará por Manaus, Belém, Recife, Salvador, Rio – onde participa da Rio+20 – e Santos.

Primeiro navio construído especificamente para ser usado pelo Greenpeace, o Rainbow Warrior traz tudo o que a organização precisa para levar suas campanhas a todas as partes do planeta.

Com 58 metros de comprimento e 11 de largura – o mesmo comprimento de duas baleias azuis –, ele transporta mais carga, mais tripulação e possui maior espaço operacional que suas duas versões anteriores. Ao mesmo tempo, é leve e ágil, chegando rapidamente onde está o problema.

O navio possui uma moderna central de telecomunicações por satélite. Por meio dela, o testemunho feito pelo Greenpeace e suas ações poderão ser comunicados em tempo real à imprensa internacional e ao público em geral desde os mais remotos locais do planeta.

Um heliponto no convés permitirá agir também nas alturas, investigando e denunciando crimes ambientais.

Sustentável

A terceira geração do Rainbow Warrior –outros dois navios já foram batizados com o mesmo nome– foi lançada aos mares em outubro de 2011, após 27 meses de construção. Desde então, a embarcação é referência em sustentabilidade náutica.

Cada detalhe foi pensado para ser energeticamente eficiente, sustentável e com a menor pegada de carbono possível, desde o tamanho de suas velas até o sistema de tratamento de água e resíduos.

Com dois mastros de 55 metros de altura e velas que, juntas, ocupam a mesma área de quatro quadras de tênis, o Rainbow Warrior aproveita ao máximo a energia dos ventos para se mover.

Seu motor de propulsão diesel-elétrica é acionado apenas sob condições climáticas desfavoráveis ou em ações que exijam velocidade máxima. Mesmo assim, o design inovador do casco permite que menos combustível seja gasto, com menos emissão de gases poluentes.

A construção do navio só foi possível graças ao apoio de mais de 3 milhões de colaboradores regulares do Greenpeace em todo o mundo, além de 100 mil doações específicas.