Publicidade
Amazônia
Amazônia

Olhos d’água brotam em plena vida urbana no Amazonas

Muitas pessoas que passam por igarapés que cortam Manaus, não fazem ideia onde as águas iniciam a viagem 15/09/2012 às 11:41
Show 1
Dona Creuza Palheta, 78, considera um privilégio ter a responsabilidade de cuidar de um olho d’água na Praça 14, Zona Sul
Carolina Silva ---

O caminho das águas vai desde às nascentes aos igarapés e grandes rios. E em meio a uma expansão imobiliária que vem ocorrendo num ritmo cada vez mais acelerado na capital amazonense, nem se imagina a presença desses reservatórios naturais, também chamados de olhos d’água, entre o concreto armado da vida urbana.

São essas pequenas nascentes, que compõem os córregos, que vão se juntando até formarem os igarapés e se transformarem num imenso volume de água: os rios que cercam nossa região.

Muitas pessoas que passam por igarapés que cortam Manaus, não fazem ideia onde as águas iniciam a viagem. É assim também com quem mora perto de um olho d’água. Muitos não imaginam por que caminhos eles percorrem. É o caso de seu Elias da Silva, 51, e dona Creuza Palheta, 78.

(A Íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).