Publicidade
Amazônia
Amazônia

Peixe-boi retorna a centro de reabilitação no Amazonas

A decisão de recapturar Piti foi tomada no último dia 5. Fazia dois dias que sinal emitido pelo transmissor de Piti apontava que o animal estava em situação de risco 13/11/2012 às 14:54
Show 1
Piti foi reintroduzido à natureza em agosto deste ano, com um cinto transmissor de sinais de rádio adaptado
acritica.com Manaus (AM)

O peixe-boi Piti Aranapu retornou ao Centro de Reabilitação de Peixe-Boi Amazônico, mantido pelo Instituto Mamirauá na Reserva Amanã, no Amazonas.

Piti foi reintroduzido à natureza em agosto deste ano, com um cinto transmissor de sinais de rádio adaptado à cauda, o que permitia à equipe do Centro acompanhar o desenvolvimento do animal em vida livre.

A decisão de recapturar Piti foi tomada no último dia 5 (segunda-feira). Fazia dois dias que o sinal emitido pelo transmissor de Piti apontava que o animal estava se deslocando pouco, em uma área do lago com pouca presença de plantas aquáticas, que servem com alimento ao peixe-boi.

Recaptura

Os técnicos do Centro de Reabilitação decidiram ver de perto o motivo do comportamento estranho do animal, quando o encontraram em uma área muito rasa do lago Amanã. Piti estava magro e aparentava cansaço.

A recaptura ocorreu no dia seguinte, em uma operação que envolveu seis pessoas. Piti está recebendo alimentação e cuidados veterinários, e ficará sob quarentena, em um tanque de 4500 litros, isolado dos outros dois peixes-boi que estão em processo de reabilitação no Centro.

De acordo com a oceanógrafa Miriam Marmontel, coordenadora do Grupo de Pesquisas em Mamíferos Aquáticos Amazônicos do Instituto Mamirauá, Piti deve passar por um novo processo de reabilitação e posterior soltura em ambiente natural.

"Ele aparenta boa disposição e aceitou imediatamente a oferta de plantas aquáticas como alimentação. Após a completa reabilitação e recuperação do peso perdido, a equipe fará nova avaliação de um momento e local propícios para nova tentativa de liberação de Piti ao ambiente natural", avalia.

Animal

Em maio de 2007, agentes ambientais apreenderam o filhote, que estava em poder de um caçador na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá. O peixe-boi apresentava arranhões por todo o corpo e uma profunda ferida provocada por golpe de arpão. O animal foi entregue a pesquisadores do Instituto Mamirauá e passou sete meses recebendo cuidados intensivos em um curral no lago Tefé.

A busca por um local mais adequado para a recuperação de Piti motivou a criação do Centro de Reabilitação de Peixe-Boi Amazônico de Base Comunitária, criatório conservacionista homologado pelo Ibama desde janeiro de 2008.