Publicidade
Amazônia
Amazônia

Pesquisa mostra quais as espécies de madeira da Amazônia podem ser usadas na indústria

A pesquisa avaliou as propriedades físicas e mecânicas das três espécies: breu- vermelho, pequiarana e tauri-vermelho 13/02/2012 às 18:32
Show 1
Manejo sustentável é alternativa para exploração de madeira na Amazônia
acritica.com Manaus

Pesquisa realizada sobre as propriedades físicas e mecânicas de três espécies de madeiras tropicais brasileiras: breu-vermelho, pequiarana e tauri-vermelho, revelou que é possível utilizar essas madeiras no ramo industrial.

A pesquisa intitulada ‘Estudo das propriedades físicas e mecânicas de três espécies florestais’ foi realizada pela engenheira florestal Juliana Brandão, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) para obtenção do título de mestre em Ciências Florestais e Ambientais, Linha de Pesquisa Manejo e Tecnologia de Recursos Florestais.

A pesquisa avaliou as propriedades físicas e mecânicas das três espécies: breu- vermelho, pequiarana e tauri-vermelho.

Para a realização do estudo foram abatidas uma árvore de cada uma dessas espécies, que foram exploradas de áreas de manejo florestal pertencentes à empresa Precious Woods Amazon, que fica localizada no município de Itacoatiara.

A cidade foi escolhida devido ao clima do município ser característico da região tropical por possuir apenas duas estações definidas: inverno (época de chuva) e verão (calor intenso).

Segundo a pesquisadora, de cada árvore selecionada foram coletados dados como comprimento e feito o desdobramento da madeira.

Em seguida, a árvore passou pelo processo de estufa e secagem e depois foi transportada para marcenaria do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) onde foi realizada a confecção do corpo de provas para os ensaios físicos e mecânicos. Depois de encerrado esse processo, as amostras foram enviadas para o laboratório técnico de madeira no Paraná, onde foram concluídos os testes.

Resultados                                                                                    

Os resultados obtidos pela pesquisa mostram que as espécies pequiarana e tauri-vermelho possuem potencial para serem usadas em projetos estruturais como janelas, móveis, instrumentos musicais, marcenaria e também como divisórias e batentes.

Já a espécie breu-vermelho possui uma estabilidade dimensional para ser usada nas mesmas finalidades acrescentando-se também seu uso na carpintaria, marcenaria, lambris, molduras e rodapés. A pesquisadora informa que durante o processo de refino, as espécies podem sofrer alterações .

“A espécie breu-vermelho pode apresentar durante o programa de secagem pequena tendência a rachaduras superficiais, encanoamento, torcimento encurvamento médio. No entanto a tauri-vermelho e a pequiarana possuem alta e média estabilidade dimensional quando são secadas em estufa”, declarou Brandão.

Manejo

O manejo florestal é uma alternativa sustentável para a exploração da madeira, pois assim ela é realizada de forma planejada e com a finalidade de proteger a floresta para um novo ciclo de corte. Brandão explica que a exploração desregrada de algumas árvores tradicionais vem ocasionando a extinção de algumas espécies.

“É necessário melhorar o aproveitamento máximo das potencialidades de determinada árvore. As espécies exploradas para fins comerciais são poucas, sendo que há muitas outras com o mesmo potencial de uso”, declarou.

O estudo de Juliana Brandão teve financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).