Publicidade
Amazônia
Amazônia

Produtores do AM afetados pela cheia devem receber R$ 8 mi

A informação é do secretário de Estado de Produção Rural, Eron Bezerra, que se reuniu com o ministro do MAPA, Mendes Ribeiro, na manhã desta quinta-feira, em Brasília 02/03/2012 às 13:56
Show 1
Áreas de várzea no Amazonas são periodicamente atingidas pela cheia no Estado
Monica Prestes ---

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) deve liberar recursos da ordem de R$ 8 milhões para milhares de famílias  de produtores rurais que foram afetadas pela cheia dos rios Juruá e Acre, nos oito municípios do Amazonas que decretaram estado de emergência por conta das inundações.

A informação é do secretário de Estado de Produção Rural, Eron Bezerra, que se reuniu com o ministro do MAPA, Mendes Ribeiro, na manhã desta quinta-feira, em Brasília.

De acordo com o secretário o montante é uma estimativa feita com base em relatórios do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), sobre os produtores que tiveram a safra deste ano prejudicada pela cheia.

A Sepror ainda não sabe precisar quantos produtores rurais foram afetados, mas estima que o prejuízo médio de cada família foi de R$ 2mil.

“Ao todo, mais de quatro mil famílias foram afetadas pela cheia, mas sabemos que nem todas são de produtores rurais. Mas, se trabalharmos com essa média de prejuízo estimada por hectare de produção, estamos falando de algo entre R$ 8 e R$ 10 milhões”, explicou.

Prejuízos

Eirunepé é o município amazonense mais prejudicado pela cheia, segundo Bezerra. São 2,5 mil famílias desabrigadas e 150 comunidades rurais afetadas, comprometendo a produção de banana, mandioca e criações de animais.

Segundo o secretário, apesar de os municípios da calha do Juruá  - Guajará, Juruá, Envira, Ipixuna, Carauari, Eirunepé e Itamarati – serem os mais afetados, junto com Boca do Acre, afetada pela cheia do rio Acre, eles não serão os únicos a serem beneficiados com os recursos federais.

“Os municípios que estão em situação de emergência serão os principais beneficiados, mas outros municípios que não estão em situação de emergência também tiveram a produção rural afetada e os produtores já amargam prejuízos de até R$ 2 mil.”

Manacapuru, Coari e Careiro da Várzea são os três municípios onde a produção rural mais foi afetada pela cheia, entre os que não estão em situação de emergência. Em Manacapuru, a produção de malva e juta deve cair 50% este ano. Já em Coari, a perda na produção rural chega a 30% e, em Careiro da Várzea, a 15%.