Publicidade
Amazônia
Amazônia

Professores e estudantes da Ufam encerram manifestação com passeata

Cerca de 300 pessoas entre professores, alunos e técnicos administrativos da Ufam participaram da manifestação com objetivo de chamar a atenção da população para as reivindicações dos docentes e problemas de infraestrutura da Universidade 31/05/2012 às 13:01
Show 1
Professores e estudantes da Ufam fazem manifestação com passeata
acritica.com Manaus (AM)

Os professores e alunos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) encerraram a mobilização, realizada nesta quinta-feira (31), com uma passeata que partiu da entrada do Campus Universitário até o Complexo Viário Gilberto Mestrinho, no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus.

Cerca de 300 pessoas entre professores, alunos e técnicos administrativos da Ufam participaram da manifestação. O objetivo da atividade, que faz parte do calendário oficial da greve por tempo indeterminado, iniciada dia 17 de maio, era chamar à atenção da população para as reivindicações dos docentes e problemas de infraestrutura da Universidade.

Com carro de som, bumbos, apitos e usando nariz de palhaço, os professores fizeram discursos exigindo uma negociação com o governo federal, que suspendeu a reunião agendada com as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) na última segunda-feira (28). “Estamos lutando pela decência! A própria presidente disse em sua campanha que Educação era prioridade, essas palavras estão se voltando contra ela agora, que se recusa a negociar com os professores”, disse o representante do Comando Local de Greve (CLG), professor Alcimar Oliveira.

O ato público político foi marcado também pela forte participação de estudantes da Ufam de diversos cursos como Artes, Pedagogia, Serviço Social, Filosofia, Letras, Ciências Sociais, Geografia, Educação Física e Medicina. Trajando camisetas com os dizeres “Estudantes em greve”, os alunos carregaram faixas e gritavam palavras de ordem no megafone como “Dilma a culpa é sua. Hoje, a aula é na rua”. Os estudantes tomaram o totem localizado em frente o Campus e seguiram em passeata até o Complexo Viário Gilberto Mestrinho, onde finalizaram a manifestação.