Publicidade
Amazônia
Meio Ambiente, Carbono, árvores, Semana do Meio Ambiente, Semmas, Projeto CO2

Projeto de monitoramento de Carbono é lançado em Manaus

Projeto CO2 Práticas de Monitoramento do Carbono em Áreas Demonstrativas será realizado nas zonas urbana e rural da cidade, por alunos e professores da rede municipal  04/06/2012 às 20:18
Show 1
Pesquisador Niro Higuchi mostra equipamento utilizado para medir a expansão da árvore, principal indicativo de acúmulo de CO2
acritica.com Manaus

Com  o intuito de desenvolver atividades de monitoramento das emissões e sequestro Carbono com alunos e professores de escolas da rede municipal, em áreas delimitadas das zonas urbana e rural de Manaus - uma iniciativa inédita no Pais - a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) lançou nesta segunda-feira (4), o Projeto CO2 Práticas de Monitoramento do Carbono em Áreas Demonstrativas.

O lançamento ocorreu no Parque do Mindu, localizado no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus, e faz parte da programação da Semana do Meio Ambiente 2012, promovida pelo órgão, e iniciada no último sábado (2).

Durante o evento, foi feita uma demonstração prática de como ocorrerá a atividade de campo do projeto pelos estudantes, além de uma mesa-redonda com especialistas em clima e ambiente, para discutir fenômenos climáticos extremos e sua relação com a dinâmica da floresta amazônica.

O titular da Semmas, Marcelo Dutra, ressaltou a importância do Projeto CO2, que, segundo ele, reduz as distâncias entre as instituições de pesquisa e ensino e o público escolar.

"Com o projeto CO2, passamos a desenvolver um instrumento eficaz de mudança de comportamento para mostrar na prática a importância da floresta em pé, sem precisar importar soluções". afirmou.

Para ele, estimular alunos e professores a trabalharem na mensuração do Carbono estocado pelas árvores é o melhor caminho.

Para o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Niro Higushi, responsável pelos trabalhos que resultaram na equação que permite quantificar o Carbono estocado nas árvores a partir do diâmetro das mesmas, colaborar com o projeto desenvolvido pela prefeitura é uma felicidade.

"Esse projeto parece simples e com o tempo todo mundo vai perceber isso. Mesmo diante dessa simplicidade, o projeto é cercado de símbolos, que são produtos dessa realidade", definiu Higuchi.

Segundo o pesquisador, as crianças e professores envolvidos no projeto serão as primeiras a terem contato com o significado da neutralização de Carbono, Carbono zero, e outras terminologias. Para ele, a responsabilidade do poder público municipal, por meio da Semmas, da Semed e da Semulsp, é muito grande.

"Não passa pela nossa cabeça que o projeto CO2 seja só demonstrativo, mas sim uma ação que vai se estender a todas as escolas municipais e até estaduais", afirmou Higuchi.

Ele também destacou que o projeto visa mostrar a viabilidade de se neutralizar o Carbono por meio da conservação das florestas em pé.

Realidade local
A coordenadora do Projeto CO2, Angeline Ugarte, ressalta que o diferencial da iniciativa é o fato de uma secretaria, como a Semmas, estar atuando diretamente no ensino formal, fornecendo inclusive material didático produzido a partir da realidade local.

"Todo nosso material é embasado em pesquisas realizadas com enfoque na dinâmica da floresta amazônica, não só no seu aspecto ecológico mas ressaltando também o aspecto social da floresta, que abriga muitos povos e grupos", disse ela.

O projeto será desenvolvido em duas áreas que demonstram diferentes níveis de conservaçao - na zona urbana, a área é de regeneração de mata ciliar e na zona rural, uma área de floresta protegida.

No total, serão seis escolas envolvidas, quatro escolas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé e duas situadas na Zona Norte de Manaus, com 170 crianças envolvidas.