Publicidade
Amazônia
Amazônia

Promotores são orientados sobre fiscalização durante as eleições

Segundo o procurador-chefe da Procuradoria Regional Eleitoral, Edmílson Barreiros, devem ocorrer várias outras reuniões no intuito de traçar estratégia para a fiscalização durante o período eleitoral no Estado 03/02/2012 às 17:49
Show 1
O procurador-chefe da Procuradoria Regional Eleitoral, Edmílson Barreiros, esteve à frente da reunião
Ana Carolina Barbosa Manaus

Cerca de 50 promotores que trabalharão no processo eleitoral, este ano, estiveram reunidos, na manhã desta sexta-feira (03/02), na sede do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) – avenida Coronel Teixeira, Nova Esperança, Zona Oeste -, para iniciar as discussões sobre as estratégias de fiscalização a serem aplicadas durante o período de campanha eleitoral e no pleito 2012 em todo o Estado. Conforme a assessoria do órgão, os encontros devem acontecer pelo menos uma vez ao mês daqui para frente.

A reunião foi conduzida pelo procurador-chefe da Procuradoria Regional Eleitoral, Edmílson Barreiros, com o suporte do subprocurador-geral para assuntos administrativos do MPE-AM, promotor de Justiça Jorge Damasceno. Barreiros teve a oportunidade de falar sobre as irregularidades que porventura venham a ocorrer durante o período e orientou os promotores sobre como impedi-las.

“No momento, estamos trocando ideia com os promotores sobre a fiscalização. Teremos pela frente pelo menos outras cinco reuniões para tratar do tema. Agora, tenho pedido aos promotores para que eles sempre tentem manter como prioridade nas suas agendas a matéria eleitoral, pelo menos neste período”, destacou Edmílson Barreiros. Ele não informou detalhes das discussões para evitar a divulgação das estratégias, já que este tipo de informação pode possibilitar que a legislação seja burlada.

Contudo, estiveram na pauta de debates temas como crimes eleitorais, coação eleitoral, compra de votos, punição a beneficiários de crimes eleitorais e propaganda eleitoral antecipada.

A assessoria do MPE destacou que a média de promotores nas próximas reuniões deve se manter em 50 e as informações serão compartilhadas não só com os mais experientes, os quais já participaram de processos eleitorais passados, quanto com os 15 novos promotores, os quais assumiram o cargo em 2011 (nove) e 2012 (seis).