Publicidade
Amazônia
Amazônia

Robôs móveis motivam alunos nas aulas de programação do Instituto Federal do Amazonas

Os alunos fazem com que robôs desempenhem tarefas de forma autônoma utilizando os ‘Kits robóticos Lego Mindstorms NXT’ 21/03/2012 às 08:51
Show 1
Alunos utilizam robôs móveis em aula no Ifam
acritica.com ---

Pesquisas demonstram que o uso de robôs móveis como ferramenta de apoio ao ensino tem sido cada vez mais frequente em sala de aula, inclusive no que se refere à programação de androides, utilizando linguagens de programação de alto nível para a execução de diversas tarefas nas diversas áreas da Engenharia.

Na prática, os alunos fazem com que robôs desempenhem tarefas de forma autônoma utilizando os ‘Kits robóticos Lego Mindstorms NXT’, objeto de motivação nas aulas de programação do Instituto Federal do Amazonas (Ifam-Campus Distrito), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (Pibic Jr).

A iniciativa faz parte do projeto ‘Estudo da linguagem NXT para programação de um robô móvel na plataforma Lego Mindstorms’, desenvolvido pela bolsista do Pibic Jr, Rachel Lima Tuma, ex-aluna do Curso Técnico Integrado em Mecatrônica do Ifam, sob orientação do professor José Pinheiro de Queiroz Neto.

Criação de material didático

Segundo Tuma, aprender o código para programação de robôs móveis como o Lego NXT foi uma tarefa difícil em função da pouca acessibilidade ao material didático disponível e por ele se encontrar em língua inglesa.

Para o professor, por se tratar de um kit vindo dos Estados Unidos, foi necessária a criação de um material didático que atendesse às necessidades de alunos brasileiros quanto ao idioma para, assim, facilitar o acesso às informações e permitir o aprendizado da linguagem, para ocupar um lugar de destaque à boa utilização da prática.

“Obter um material didático que facilite o acesso dos alunos e pesquisadores às informações e permita o aprendizado da linguagem de programação é fundamental. Com um material acessível, esse kit entrará em sala de aula funcionado como uma ferramenta de motivação às aulas de programação, proporcionado um ambiente dinâmico, envolvente, interativo, favorecendo assim a troca de conhecimentos, opiniões e pesquisa”, explicou Tuma.

Resultados

Os itens avaliados durante a pesquisa foram os seguintes: conteúdo, didática, figuras, fluxo de informações, idioma, autoaprendizagem, prática, avaliação geral, qualidade gráfica e exemplos.

Pôde-se observar que em todos os itens a soma de graus ‘excelente’ e ‘bom’ configura-se como maioria, demonstrando que o material didático cumpriu bem seus objetivos. Como destaque, o fato do material didático ter sido disponibilizado em língua portuguesa foi considerado como ‘excelente’ entre todos os avaliadores, e isto pode ser explicado em função da dificuldade de encontrar este tipo de material em língua portuguesa.

“Ao final, todos os alunos voluntários conseguiram realizar a programação e executar a tarefa prevista para o robô móvel, uns de maneira mais independente e outros com o auxílio da instrutora”, explicou Tuma.

Sobre o Pibic Jr.

Esse programa, desenvolvido em parceria com o CNPq, consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas, a inserção de estudantes de Ensino Médio em projetos de pesquisa em instituições públicas e privadas do Estado do Amazonas.