Publicidade
Amazônia
Amazônia

Sonho é de ser a voz feminina do povo yanomami

Tuíra Yanomami quer ser a voz feminina de seu povo  02/11/2012 às 17:53
Show 1
Com traje tradicional, Tuíra Yanomami diz que jádisse ao seu pai, Davi: "Não pretendo casar. Quero estudar primeiro"
Elaíze Farias Aldeia Watoriki, Barcelos (AM)

Aos 18 anos, Tuíra Yanomami, filha de Davi Kopenawa, cultiva o desejar de estudar, trabalhar e tornar-se, futuramente, a voz feminina do povo yanomami. Namoro e casamento vão demorar um pouco. Em uma comunidade onde as meninas casam cedo, Tuíra anunciou aos possíveis pretendentes que pretende “esperar um pouco mais”.

“Também já conversei com meu pai e disse que ainda não pretendo casar. Quero estudar primeiro”, diz Tuíra. Quando não está em sua aldeia, ela estuda o ensino médio em uma escola pública de Boa Vista, capital de Roraima. Na capital de Roraima, Tuíra mora co uma funcionária da Hutukara Associação Yanomami (HAY).

“Quero aprender a falar português melhor e depois, quem sabe, continuar estudando. Mas faço isso para ajudar meu povo. Quando terminar, quero voltar para a minha aldeia”, comentou.

Outro filho de Davi Yanomami é Dário Vitório Kopenawa, 26, que também já começa a se revelar uma liderança de destaque em sua aldeia e entre seus parentes.

Dário foi o responsável pela organização da assembleia realizada em Watoriki. Era ele quem intercalava as intervenções dos participantes, que fazia as apresentações dos visitantes e as traduções do yanomami para o português e vice-versa.

Dário mora atualmente em Boa Vista, onde também está estudando. Ele também integra a direção da HAY.