Publicidade
Amazônia
Amazônia

Trabalho de pesquisador do Inpa resulta em construção de casas de madeira

A construção da casa é uma das atividades do projeto “Estudos Tecnológicos de Alternativas de Uso de Resíduos Florestais na Amazônia Central” 30/05/2012 às 11:40
Show 1
A construção da casa é uma das atividades do projeto “Estudos Tecnológicos de Alternativas de Uso de Resíduos Florestais na Amazônia Central”
acritica.com Manaus

Um trabalho coordenado pelo pesquisador Basílio Vianez, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI), resultou na construção de uma casa de roletes, produto que se baseia na utilização de resíduos madeireiros da Amazônia. A construção da casa é uma das atividades do projeto “Estudos Tecnológicos de Alternativas de Uso de Resíduos Florestais na Amazônia Central”.

A tecnologia utiliza o rolo-resto ou rolete, uma espécie de resíduo madeireiro que sobra após o processo de torneamento das toras na confecção das lâminas de madeiras usadas na produção do compensado e pode representar até 30 % do volume da madeira que entra nas fábricas de compensado do Brasil.

Coleta de resíduos
O material popularmente conhecido como compensado é feito de lâminas de madeira, que são retiradas desenrolando toras em um torno, ou seja, como se fosse um grande apontador de lápis, sendo que a faca que tira essa lâmina é paralela ao eixo da tora, possibilitando o desenrolar de uma tora até que a mesma fique fina e não haja mais condições de continuar o processo de retirada da lâmina. O material que resta desse processo é um cilindro do centro da tora, o rolete, com um diâmetro que varia de 15 a 25 cm, material que foi utilizado na edificação.

Segundo Vianez, tentar viabilizar uma melhor utilização desses resíduos foi o principal fator que motivou a realização do projeto. “Durante muitos anos, o resíduo chamado rolo-resto ou rolete, foi considerado de baixo valor econômico e utilizado apenas para queima em caldeiras das próprias fábricas de compensado. Procuramos então dar um uso mais nobre a esse resíduo e partimos do princípio que pelas características desse resíduo, a melhor aplicação seria em estruturas de edificações”, explica o pesquisador.

Como uma alternativa de baixo custo, a casa foi projetada no estilo “Log Home”, um método de construção de casas muito conhecido em países como Canadá, Estados Unidos e regiões da Europa como a Escandinávia, onde toras são encaixadas umas nas outras, na posição horizontal, como se fosse o formato de uma fogueira, erguendo-se assim as paredes. Porém, na proposta desenvolvida no Inpa, as toras foram substituídas por roletes e o método utiliza equipamentos simples, permitindo que, para fazer os encaixes, sejam utilizadas apenas serras circulares de bancada.

O pesquisador ressalta que nem sempre a utilização da madeira deve ser vista como significado de baixa qualidade e desconforto. “Existem muitos diferenciais da matéria-prima madeira para as demais utilizadas na construção. Na região há um preconceito para com a madeira, que está sempre associada à pobreza, à baixa qualidade, ao desconforto, etc. Mostramos neste projeto que a madeira, ao contrário do mito que foi criado, é um dos materiais mais versáteis existentes no planeta. Por isso é utilizada nos chalés dos Alpes suíços, é insubstituível em muitas aplicações como estruturas e pisos de ginásios esportivos”, enfatiza.

Por ser um método inovador, o trabalho necessitou do treinamento de pessoal, além de ser um processo que estava sendo avaliado para estudos de projeto, o que levou a construção a demorar cerca de seis meses para ficar pronta.

Exposição
O protótipo da “Casa de Roletes”, desenvolvida pelo Inpa e com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), foi construído no Bosque da Ciência do Instituto, localizado na rua Otávio Cabral, Petrópolis, zona centro-sul de Manaus.

O local é aberto à visitação e a casa ficará exposta como modelo de uso racional dos resíduos da indústria madeireira e, segundo o coordenador, a idéia é usar as instalações dessa casa para atividades de lazer das pessoas que visitam o local e buscam conhecimento sobre conservação do meio-ambiente e uso sustentável dos recursos naturais.