Publicidade
Amazônia
Amazônia

Venezuela denuncia garimpeiros brasileiros por massacre contra yanomami

A denúncia divulgada em nota da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia é baseada no relato de três sobreviventes que estavam na mata no momento do assassinato 30/08/2012 às 12:31
Show 1
Denúncias dão conta sobre a matança de índios yanomami por garimpeiros do Brasil ocorrido em julho passado.
Elaíze Farias Manaus

Organizações indígenas da Venezuela denunciaram nesta terça-feira (28) a matança de índios yanomami por garimpeiros do Brasil ocorrido em julho passado.

A denúncia divulgada em nota é baseada no relato de três sobreviventes que estavam na mata no momento do assassinato e que se mudaram para uma comunidade chamada Parima entre os últimos dias 15 e 20 de agosto. O número de indígenas yanomami vítimas do massacre ainda é incerto.

A nota é assinada pela Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia (Coiam), que reúne 12 organizações da Amazônia venezuelana e que foi encaminhada pela Hutukara Associação Yanomami, que representa o povo indígena no território brasileiro. 

Conforme as organizações, a matança ocorreu em uma comunidade onde vivem aproximadamente 80 indígenas localizada nas cabeceiras do rio Ocami, região do Alto Orinoco, fronteira com o Brasil, no Estado venezuelano de Amazonas. A comunidade, segundo a nota, foi incendiada e os indígenas atacados com armas de fogo e explosivos. Uma mulher teria sido raptada pelos garimpeiros mas foi resgatada pelos indígenas.

A Coiam denuncia que a invasão de garimpeiros ilegais vindos do Brasil já ocorre há mais de quatro anos. Diz ainda os garimpeiros ameaçam os indígenas e poluem os rios com mercúrio.

As organizações indígenas venezuelanas pedem na nota que o governo daquele país conduza uma investigação urgente e adote uma ação bilateral com o governo brasileiro para controlar a entrar de garimpeiros nas terras indígenas yanomami.

A população yanomami ocupa os territórios da Venezuela e do Brasil (Roraima e Amazonas). A presença de garimpeiros também é constante nos territórios yanomami do Brasil, conforme vem denunciando há vários anos as lideranças indígenas.

Os yanomami já afirmaram, em diferentes momentos, em assembleias e por meio de notas, que sao contra a exploração de ouro em suas terras.