Publicidade
Manaus Hoje
EXECUÇÃO

Apontado como mandante do assassinato do soldado Portilho nega crime à polícia

Entretanto, delegado confirmou que Rodolfo “Gigante” deu a ordem para “soldados” dele executarem o policial militar 17/11/2017 às 12:09 - Atualizado em 17/11/2017 às 12:27
Show 2e48637b af43 485a b940 3efbb26b0f51
Foto: Jander Robson
Dani Brito Manaus (AM)

Apontado como o mandante do assassinato do policial militar Paulo Sérgio da Silva Portilho, ocorrido no dia 26 de maio deste ano em Manaus, Rodolfo Barroso Martins, 25, mais conhecido como “Gigante”, negou o crime à polícia. Ele foi apresentado na sede Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na manhã desta sexta-feira (17).

“Gigante” havia sido preso no último dia 9 de novembro, na cidade de Anápolis, no estado de Goiás. Ontem, quinta (17), ele foi trazido de avião para Manaus. Segundo o delegado Juan Valério, titular da DEHS, desde o dia do crime uma força tarefa foi colocada às ruas para identificar e localizar todos os envolvidos. O assassinato do PM aconteceu na invasão Vila Buriti, no bairro Nova Cidade, Zona Norte de Manaus

“O soldado (Portilho) tinha ido ao local por conta de um terreno que ele tinha lá. No dia do crime os soldados do ‘Gigante’ o identificaram como policial e o prenderam. Em seguida, o braço direito de Gigante, identificado como ‘Índio’, ligou para ele e recebeu então a ordem para executá-lo”, explicou o delegado.


Foto: Jander Robson

Ainda segundo Juan Valério, antes de ser morto com golpes de faca, o soldado foi torturado e, após a morte, o corpo dele arrastado pela invasão e, em seguida, enterrado no mesmo local.

Até o momento, 16 pessoas foram identificadas e apontadas pela participação no crime. Dentre elas, três adolescentes que já foram apreendidos e um rapaz que foi encontrado morto no dia posterior o fato, o José Isaque Santos da Silva, o “Trem Bala”. Os outros envolvidos foram todos presos, com exceção de Fábio Barbosa de Souza, o “Índio”, que é apontado como o executor.

Após ser apresentado à imprensa, Rodolfo “Gigante” foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), localizado na rodovia federal BR-174.

Outros presos

Além de “Gigante”, estão presos pela morte de Portilho: Bruno Medeiros Mota, o “Bruno Filé”; Felipe Souza dos Santos, o “Já Morreu”; Jeferson de Souza Farias, o “Peteca”; Ketlen Bianca Oliviera; Renata Lima da Silva, a “Baixinha”; Marcos Neves Serra, o “Tá Bandido”; Alex Azevedo de Almeida, o “Torinha”; Henrique da Silva e Silva; José Cledson Weckner, o “Menor do Chapa”; e William Paiva Cavalcante, o “Sorriso”.