Publicidade
Manaus Hoje
GOLPE

Ex-gerente é preso acusado de aplicar golpe de 654 mil reais em agência bancária

De acordo com a polícia, Carlos agia sozinho e, no período em que aplicou os golpes, conseguiu quitar um apartamento, comprou e vendeu carros além de comprar uma casa no centro da cidade 09/05/2016 às 13:15 - Atualizado em 09/05/2016 às 17:48
Show 018f72e0 64ca 4204 8bd0 486ce242f8a5
Carlos Jonathan foi indiciado pelo crime de furto continuado por abuso de confiança e deve seguir para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa ainda nesta segunda-feira (9)
Joana Queiroz Manaus (AM)

Carlos Jonathan Munhoz, 29, foi preso na tarde da última sexta-feira (6) por policiais do 24º Distrito Integrado de Polícia, em via pública, na rua Ferreira Pena, localizada no Centro de Manaus. Ele estava com um mandato de prisão em aberto por suspeita de aplicar um golpe de R$ 654 mil no banco Bradesco, em 2014.

De acordo com a investigação, em 2014, o acusado - que era funcionário de uma agência do banco Bradesco, gerenciando um PAB (posto de atendimento bancário), localizada na avenida Torquato Tapajós - abriu uma segunda conta em nome de um cliente de São Paulo. A partir de então, ele começou uma série de transações, empréstimos e transferências.

Quando o verdadeiro dono da conta descobriu a fraude, entrou em contato com o banco, e foi iniciado um processo de auditoria para apurar o crime. Após isso, a denúncia partiu para polícia, que iniciou as investigações em janeiro deste ano.

De acordo com o delegado Aldeney Góes, do 24º DIP, que conduziu as investigações, Carlos agia sozinho e, no período em que aplicou os golpes, conseguiu quitar um apartamento, comprou e vendeu carros além de comprar uma casa no Centro da cidade. Em depoimento, o acusado afirmou que o valor total do golpe é de cerca de R$ 400 mil.

“Jonathan trabalhava em um posto de um banco localizado dentro de uma empresa. Ele ocupava as funções de gerente e caixa, tendo acesso a todos os dados de clientes. O infrator criou uma conta em nome de uma dessas pessoas. Efetuou sete transferências em torno de R$ 15 mil e ainda fez três empréstimos em torno de R$ 100 mil. Sempre tinha a solicitação concretizada, uma vez que o cliente era possuidor de grandes valores na instituição financeira”, explicou Aldeney Góes.

Carlos Jonathan foi indiciado pelo crime de furto continuado por abuso de confiança e deve seguir para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa ainda nesta segunda-feira (9).

*Colaborou nesta matéria Alexandre Pequeno