Publicidade
Interior
PRESERVAÇÃO

Município de Carauari vai realizar a soltura de onze mil quelônios no rio Juruá

Os animais serão soltos nas unidades de conservação RDS do Uacari e Resex do Médio Rio Juruá 08/11/2017 às 19:07
Show quel nios 123
Foto: Euzivaldo Queiroz - 08/11/2010
Antonio Ximenes Manaus (AM)

Nos próximos dias 28, 29 e 30 três comunidades ribeirinhas das unidades de conservação ambiental: RDS do Uacari e Resex do Médio Rio Juruá em Carauari vão soltar 11 mil quelônios. Na ocasião, gincanas, jogos, palestras ambientais e de saúde acontecerão. Ao longo de 2017, duzentos e cinquenta mil quelônios serão soltos no rio Juruá, em 16 praias com tabuleiros controlados por agentes ambientais locais.

No dia 28, a soltura será na comunidade Xibauá, na RDS do Uacari, importante polo de sustentabilidade da região. Os comunitários vão participar da eclosão da postura de 3 mil quelônios. No dia seguinte, será a vez da comunidade Vila Ramalho, na Resex do Médio Rio Juruá, com 5 mil quelônios; e, no encerramento, no dia 30, serão soltos mais 3 mil, na comunidade Nova Esperança. Estima-se que mais de 1.500 pessoas participarão dessas atividades educacionais sobre meio ambiente. 

Além da soltura, também haverá atendimentos odontológicos, orientação sobre a saúde da mulher, torneio de futebol e rodadas de discussão sobre os cuidados a serem tomados para a preservação das espécies animais e vegetais da região.

Segundo o gerente da RDS do Uacari, Gilberto Olavo Costa de Oliveira, a soltura de quelônios faz parte da cultura dos ribeirinhos, que há dez anos fazem o monitoramento dos tabuleiros em dezenas de praias. Mas, no passado, há 30 anos, as comunidades pioneiras nesta atividade foram o Bauana, Deus é Pai e Mandioca, todas no rio Juruá. 

“Nós temos tradição na soltura de quelônios e já equilibramos o controle da espécie em várias partes do rio Juruá e em lagos. Mas, como o risco de extinção é permanente pela procura dos quelônios como alimento, não baixamos a guarda da preservação”, comentou.

Prefeitura

O prefeito de Carauari, Bruno Ramalho, colocou à disposição das comunidades a infraestrutura de apoio no transporte dos comunitários, bem como das equipes de monitoramento e soltura dos quelônios. “Nós estamos atentos às atividades relacionadas ao meio ambiente, porque entendemos que Carauari precisa continuar com essa cultura de liderança na área, para o equilíbrio em nossos rios e lagos”, frisou. 

Internacional

Liderança histórica dos seringueiros, o gestor do ICMBio da Resex do Médio Juruá, Manuel Cunha, vai estar presente em todas as atividades em sua unidade de conservação federal. Ele vai  organizar os comunitários para que a soltura dos quelônios seja um evento ambiental, social e educacional. Cunha, que já participou de várias Conferências do Clima da ONU, é a mais importante autoridade ambiental internacional da calha do rio Juruá. Sua sabedoria cabocla e a firmeza das posições em defesa do extrativismo e do manejo do pirarucu e de outros animais dos rios e da floresta, fizeram dele um símbolo de resistência ambiental. 

Estadual

O secretário de Estado do Meio Ambiente do Amazonas, Marcelo Dutra, entende que o monitoramento dos quelônios nas praias do rio Juruá; bem como de outras calhas de rio, é fundamental para manter a espécie em equilíbrio.  A cidade de Itamarati, localizada na calha do rio Juruá, também tem tradição na soltura de quelônios. 

Autorizações

A entrada de pessoas de fora das unidades de conservação somente é permitida com autorização da SEMA (RDS do Uacari) e da União (Resex do Médio rio Juruá). A medida tem como objetivo evitar a biopirataria e preservar a cultura regional, que é de consumo dos quelônios de forma controlada e familiar.