Publicidade
Manaus
CARNAVAL 2018

Acadêmicos do Rio Negro deve voltar aos desfiles oficiais do Carnaval de Manaus

A volta da escola de samba, se confirmada, será a segunda de uma tradicional agremiação da folia manauense dos anos 80 18/07/2017 às 09:46 - Atualizado em 18/07/2017 às 11:54
Show kdf  k ssd
Torcedores planejam a volta da escola de samba, que terá de disputar vaga na “quarta divisão” do carnaval de Manaus (Foto: Reprodução/Internet )
Markus Nagawo Manaus (AM)

Após 34 anos sem participar do Carnaval amazonense, integrantes da Escola de Samba Acadêmicos do Rio Negro se reorganizam para a volta triunfante da agremiação na disputa que acontecerá em fevereiro, no sambódromo.

A escola agora espera a resolver trâmites legais por parte da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) e pretende realizar, em agosto, o lançamento do enredo e samba enredo, cujo tema será “De um sonho de menino nasce um clube vencedor: Atlético Rio Negro Clube”. Será uma homenagem à história da clube da praça da Saudade.

“Desde 2001, a comissão organizadora e eu estamos nos reunindo para planejar esse retorno. Nos encontramos com a torcida e esse é um grande sonho que só depende da solução de questões burocráticas que envolvem as instituições carnavalescas”, disse o presidente da escola de samba, Mosani Santiago.

Além das dificuldades financeiras, o sambista explica que o motivo para a suspensão da atividade foi o surgimento de divergências entre a diretoria responsável pela organização, depois da agremiação popular conquistar o status de escola de samba.

Santiago ressalta que há ainda grande acolhimento por parte da sociedade amazonense e que a comissão não vai desistir de levar adiante os planos para 2018.

“Nos anos 70, éramos a coqueluche na capital e, até hoje, nas redes sociais, nós recebemos muitas mensagens positivas do público, que espera a volta da escola a disputa. Mesmo que não consigamos, iremos desfilar em alguma avenida da capital”, planeja o sambista.

Retornos

A volta da Acadêmicos do Rio Negro, se confirmada, será a segunda de uma tradicional agremiação da folia manauense dos anos 80. No mês passado, um grupo de sambistas do Parque Dez começou a reorganizar a Barelândia.

A agremiação fundada em 1976 pelo lendário compositor e amante do folclore Maranhão, e que está se reorganizando aos poucos tendo como local, claro, o mesmo berço no qual nasceu: o bairro do Parque Dez de Novembro, Zona Sul Centro-Sul.

No último dia 28 de maio foi realizado o primeiro evento da "ressurreição" da Barelândia.

Pontos

A escola começou como torcida organizada do Clube de Futebol Rio Negro, no final da década de 1960. Era a “Charanga do Galo”, primeira torcida organizada de Manaus.

Fundada pelo sambista amazonense Iomar Japonês, a agremiação competia na modalidade batucada, que fez parte do Carnaval de Manaus até o ano de 1982.

A batucada se apresentou em pontos marcantes de Manaus, como a avenida Eduardo Ribeiro, no Centro de Manaus, e o Parque Amazonense, localizado na rua Belém, Zona Centro-Sul de Manaus.

Publicidade
Publicidade