Publicidade
Manaus
Manaus

Acúmulo de água e lixo ameaça a solidez das pontes de Manaus

Com o aumento do nível de água e lixo, que se aproximam da superfície, motoristas e pedestres temem pela estabilidade das pontes da cidade 26/05/2012 às 12:25
Show 1
Situação na ponte do Tarumã é considerada preocupante por motoristas e pedestres, que a atravessam com muita atenção
Carolina Silva Manaus

A situação de segurança nas pontes que estão pressionadas por águas que subiram na enchente deste ano preocupam motoristas e pedestres em várias partes da cidade. As pontes de bairros como Tarumã e São Jorge, na Zona Oeste, são apontadas como as mais preocupantes pela população.

Na ponte do Tarumã, nas proximidades da comunidade São Francisco, motoristas preferem passar pelo local com cautela. “Aparentemente ela deve estar com a estrutura comprometida porque a água está bem perto da pista, então é melhor não arriscar e passar devagar”, alertou o comerciante Josué Tapajós, 45.

O autônomo Alberto Magalhães, 40, também teme que o peso dos veículos que trafegam sob a ponte, aliado à velocidade excessiva, possam provocar um desabamento. “Acho que há muito tempo essa ponte não recebe algum tipo de manutenção por parte do poder público”, lembrou Magalhães. “Então não dá pra descartar que ela possa se romper porque ela parece estar com a estrutura física comprometida”, completou.

Além dos motoristas, pedestres também ficam desconfiados ao circular pelo local. “A gente passa por aqui um pouco preocupado, principalmente quando passam carros e caminhões em alta velocidade. Como não somos especialistas temos que desconfiar mesmo se há uma segurança”, disse a dona de casa Mariete Gonçalo, 33.

Na ponte que dá acesso ao bairro São Jorge, também na Zona Oeste, a situação é a mesma. As águas do igarapé do Mindu estão encostadas na base dela e faltam aproximadamente 25 centímetros para superar o nível da pista. “Aqui a gente também fica preocupado com as condições da ponte porque passam carros, caminhões e ônibus”, disse a moradora Eliza Mendonça, 59.

Para o engenheiro civil Rafael Assayag, a cheia dos igarapés não oferecem um risco iminente às pontes. “O que pode provocar um acidente grave seria uma forte chuva em que provo casse a queda de uma árvore em cima da ponte. Mas ao longo prazo, sem uma devida manutenção, pode-se observa que a estrutura vai ficando comprometida”, esclarece o engenheiro.

Outra ponte que traz preocupação é a que interliga os bairros de São Jorge e Santo Antônio. Lá, as águas do igarapé do Franco estão a centímetros de superar o nível da pista.

Distribuição de cartões

Mais de 10 mil famílias afetadas pela enchente em cinco município deverão receber neste final de semana o benefício de R$ 400 do Governo do Estadual por meio do cartão “Amazonas Solidário”. De acordo com a Defesa Civil do Estado, ao todo, 10.006 famílias serão beneficiadas com o recurso financeiro para a ajuda emergencial nesse período.

Os cartões serão distribuídos nos Municípios de Careiro da Várzea e Barreirinha (que decretaram estado de calamidade pública), Boa Vista dos Ramos, Nova Olinda do Norte e Manacapuru, os três em estado de emergência. No Careiro da Várzea, serão entregues 2.705 cartões; em Barreirinha, 2.200; em Manacapuru, 3.139; em Nova Olina do Norte, 1.296; e em Boa Vista do Ramos, um total de 666.