Publicidade
Manaus
Manaus

Adolescente é encontrado morto em cachoeira na Zona Oeste de Manaus

Familiares do jovem de 17 anos, acreditam que ele foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte) ou morto por engano, já que o mesmo não tinha rixa com ninguém ou antecedentes criminais 01/02/2012 às 18:31
Show 1
O corpo foi encontrado por moradores do Tarumã
Catiane Moura e Evelyn Souza Manaus

O corpo do eletricista Felipe Lopes Pires, 17, foi encontrado na manhã desta quarta-feira (1º) por volta das 9h, boiando na Cachoeira Alta, no bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

De acordo com a polícia, a vítima apresentava sinais de espancamento. Há suspeitas também de que ele tenha sido jogado pela queda de água de aproximadamente 35 metros de altura.

Familiares do eletricista acreditam que Felipe foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte) ou morto por engano, já que o mesmo não tinha rixa com ninguém ou antecedentes criminais.

Segundo informações do avô da vítima, Luiz Pires, 62, o neto estava desaparecido desde a noite de segunda-feira.

O aposentado relatou que Felipe teria saído em uma motocicleta Dafra OAA-0135 de cor vermelha, empresta de um amigo para realizar um trabalho em uma fábrica e não mais retornado à sua residência.

“Eu estava com ele ao telefone quando o mesmo me confirmou que estava no Conjunto Cidadão 10. Eu disse para ele retornar porque iria precisar da moto. Em seguida ouvi umas vozes e um deles dizia: ‘Passa a chave da moto’. Outra pessoa do grupo também falou: ‘Tu é amigo do Pit Bull, né?’. Depois só ouvi uns barulhos de tapas e a ligação caiu”, relatou o empresário e amigo da família Ney George  Brito, abalado.

O empresário ainda contou que ele junto à família de Felipe foi ao 15° Distrito Integrado de Polícia (DIP) fazer um Boletim de Ocorrência (B.O) na mesma noite, sobre o crime. No dia seguinte, eles foram a vários pontos do bairro onde Felipe disse que estava pela última vez, em busca de localizá-lo. 

“Ficamos desesperados, pois ele sumiu e nós não sabíamos para onde havia sido levado e o que tinha acontecido”, ressaltou Ney.

Familiares do adolescente foram a Cachoeira Alta, e reconheceram a vítima através das roupas.

“Ele tinha saído com aquela camisa cinza. Quando fomos informados de que tinha um corpo no Tarumã. Corremos, e infelizmente era ele”, disse Jucimara Porto Rodrigues, tia da vítima.

O corpo foi removido por volta das 10h30 pelo Instituto Médico Legal (IML). Por conta da dificuldade de acesso ao local onde a vítima estava localizada foi necessário auxílio de agentes do Corpo de Bombeiros para realizar a remoção.