Publicidade
Manaus
Manaus

Aleam homenageia dia do pescador, dia 29 de junho

Em torno  destes trabalhadores, que são lembrados todo dia 29 de junho, dia de São Pedro, um dos pescadores e discípulo de Jesus Cristo, foram debatidos também maiores investimentos para o setor 26/06/2012 às 15:39
Show 1
Além de mais investimentos à atividade, foram, defendidas mais políticas públicas e qualidade de vida para esses profissionais
acritica.com Manaus

A Assembléia Legislativa do Amazonas (Aleam) realizou nesta terça-feira (26) uma Sessão Especial em homenagem ao Dia do Pescador, data comemorada no dia 29 de junho. O presidente da Comissão de Pesca da Casa, deputado estadual Orlando Cidade (PTN), foi o autor da propositura, que segundo ele, teve o objetivo de lembrar a contribuição da categoria ao desenvolvimento do Amazonas.

O parlamentar também informou que esteve reunido com representantes do BNDES para tratar dos recursos do Fundo Amazônico, que dispõe de R$ 1 bilhão para ser aplicado na Região Amazônica. De acordo com o parlamentar, uma nova reunião com os técnicos da instituição, da Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) e da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS) foi agendada para se debater como destinar parte destes investimentos na piscicultura do Estado.

“Com esses projetos o Amazonas tem a oportunidade de ser um dos maiores produtores de alimento saudável, que é o nosso peixe. Vamos aguardar com ansiedade a vinda desses representantes do BNDES”, ressaltou o parlamentar.

O deputado estadual Belarmino Lins (PMDB) parabenizou Orlando Cidade pela iniciativa, lembrou a contribuição dos pescadores para a economia do Amazonas e o empenho do governador Omar Aziz (PSD) para desenvolver a atividade. Belarmino também propôs que a Aleam organize uma moção de indicação para indicar o nome de Orlando Cidade para o Ministério da Pesca.

O vice-presidente da Associação dos Engenheiros de Pesca do Amazonas, Renilton Solarth, afirmou que a instituição e seus membros vêm buscando contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos pescadores e que estes podem contar com os profissionais espalhados nos 62 municípios do Estado para auxiliá-los em suas atividades.

“O presidente da associação está em Brasília juntamente com o secretário de Pesca no Conselho Nacional de Pesca brigando pelo Amazonas e por melhorias para essa classe, como a desburocratização do crédito. A associação está de mãos dadas com os pescadores para que juntos possamos alavancar o setor da pesca no Amazonas”, declarou.

O presidente do Sindicato dos Pescadores do Amazonas, Ronildo Nogueira, citou como um dos principais entraves à atividade no Estado a dificuldade de acesso à Declaração de Aptidão ao Produtor (DAP), documento utilizado como instrumento de identificação do agricultor familiar para acessar políticas públicas, assim como a deficiência de internet nos municípios mais distantes, que os obriga a encaminhar os projetos elaborados pela categoria até Manaus.

Segundo Ronildo, o sindicato reúne atualmente 30 mil pescadores em 47 municípios e que a classe está organizada em prol da qualidade de vida de todos os seus integrantes. “Queremos políticas públicas voltadas à Saúde, Educação e moradia dos pescadores. Estamos travados e precisamos da ajuda da Aleam para avançarmos”, afirmou.

O chefe do Departamento de Pesca da Secretaria Executiva de Estado de Pesca, Ivo da Rocha Calado, destacou o empenho do governo em alavancar a piscicultura no Estado e que a primeira iniciativa nesse sentido é o projeto Amazonas Rural.

O presidente da Aleam, deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), lembrou o potencial do Estado para a pesca, o conhecimento dos trabalhadores do setor e a necessidade de que a atividade seja feita de maneira sustentável.

O chefe do Legislativo Estadual também colocou a Casa à disposição dos pescadores para o debate das reivindicações da categoria. “Mais uma vez, parabéns pelo Dia dos Pescadores e tenham certeza que podem contar com a Aleam para juntos criarmos alternativas para fazer do setor melhor, maior e cada vez mais significativo à economia do Estado”.

Fonte: Diretoria de Comunicação