Publicidade
Manaus
Cotidiano, Trânsito, Transporte público, Transporte Alternativo, SMTU

Alternativos circularão em Manaus com sistema de rodízio

Medida foi anunciada pelo superintendente da SMTU, Marcos Cavalcante, que garantiu que não haverá perdas para o sistema de transporte feito por microônibus   11/02/2012 às 10:01
Show 1
Microônibus Alternativos atendem principalmente as Zonas Leste e Norte de Manaus
Milton de Oliveira Manaus

Os 260 micro-ônibus do sistema Alternativo (amarelinhos) que trafegam em Manaus passarão a circular, a partir do próximo sábado (18), em sistema de rodízio e divididos em duas frotas de 130 por dia, com as letras “A” e “B”.

A decisão foi tomada em caráter experimental pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), a partir de reuniões com as cinco cooperativas do Alternativo e comunicada na manhã dessa sexta-feira (10), pelo superintendente do órgão, Marcos Cavalcante.

Segundo ele, a decisão foi motivada para atender os interesses das cooperativas que atuam no transporte alternativo e do poder público.

“A oferta de ônibus em abundância nas zonas Norte e Leste, onde os transportes alternativos operam, acabou por desequilibrar econômica e financeiramente aqueles operadores, que operam com 260 carros por dia”, afirmou Cavalcante.

Migração
Ainda conforme o superintendente Marcos Cavalcante, os passageiros dos alternativos “migraram” para o transporte convencional depois da chegada de ônibus novos em Manaus.

“Os permissionários passaram a ter muitos carros para poucos passageiros”, sublinhou.

De acordo com o presidente da Cooperativa dos Permissionários do Transporte Alternativo do Estado do Amazonas (Coopermo), Júlio Mendes, se o sistema não funcionar, eles farão nova reunião com o superintendente do órgão.

“Não queremos regredir. Fomos comunicados para fazermos esse ajuste com a finalidade de dar mais fluidez ao trânsito. Os técnicos da SMTU afirmaram que não haveria dano financeiro para nós”, disse.

Ele contou, também, que a decisão não partiu das cooperativas, mas eles “acatariam” para evitar desgastes com discussões. Outra justificativa apresentada, nessa sexta-feira, por Marcos Cavalcante, foi que o sistema de rodízio evitaria o “desgaste excessivo” dos veículos alternativos.

“Pretendemos aplicar, também, essa experiência aos transportes executivos. Com isso, baixaríamos os custos, em combustível, pneus, entre outros”, concluiu.

Para o ex-permissionário de alternativos, Marcelo Henrique da Silva, Marcos Cavalcante estaria favorecendo às empresas de ônibus.

“A metade desses alternativos estão ilegais, e há uma dívida provocada pelos impostos cobrados das cooperativas por parte da SMTU. Com isso, o seu Marcos está se aproveitando da situação para impor esse sistema ao transporte alternativo”, disse.

Conforme a SMTU, as reuniões para o sistema de rodízio, começaram em dezembro do ano passado e elas estão cientes.

Novo visual
Conforme o presidente da Cooperativa de Permissionários em Transporte Alternativo Coletivo e Urbano do Amazonas (Cooptran), Venício José, os ônibus alternativos irão trafegar com letras, que identificam a frota que vai circular.

“No próximo sábado, 18, os ônibus serão adesivados na frente, atrás e nas laterais com numeração e as letras ‘A’ ou ‘B’. Vamos também fazer um sorteio para saber qual frota vai começar primeiro. A partir daí, vamos alternando cada dia”, informou ele.

Ele disse, também, que o prazo de experiência do sistema de rodízio dos alternativos termina em 18 de março.

Zona Leste
De acordo com a Coopetran, no próximo sábado, 65 ônibus com letras “A” ou “B” vão circular pela Zona Leste, nos bairros João Paulo, Jorge Teixeira e Val Paraíso. Outros 65 vão trafegar pela Zona Norte, em bairros como Cidade de Deus, Alfredo Nascimento e Nova Cidade.