Publicidade
Manaus
Manaus

Alternativos iniciam rodízio nas Zonas Norte e Leste de Manaus

Somente metade da frota, 130, poderá circular diariamente, divididos em ônibus A e B. Medida é para desafogar trânsito 18/02/2012 às 09:26
Show 1
Microônibus Alternativos atendem principalmente as Zonas Leste e Norte de Manaus
Maria Derzi ---

A partir de hoje, os ônibus Alternativos que circulam pelas zonas Norte e Leste da cidade serão submetidos a um rodízio proposto pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU). A medida tomada, segundo a SMTU para para desafogar o trânsito e melhorar o escoamento do tráfego naquelas áreas da cidade, foi anunciada ontem pelo presidente Marcos Cavalcante.

Com o rodízio, apenas 130 carros do sistema de Alternativos poderão circular por dia. Hoje, vão circular apenas os ônibus Alternativos com a placa contendo a letra A, indicados pelas próprias cooperativas, para atender todos os itinerários das zonas Leste e Norte. Amanhã, circularão os Alternativos do grupo B. “Nós resolvemos colocar em prática esse rodízio como uma forma de fortalecer o transporte convencional. Quanto mais passageiros saírem das anomalias do sistema de transporte urbano (os mototáxis, taxis-lotação, Alternativos), o IPKa (Índice de passageiros por quilômetros) será maior, e a tarifa será menor”, justificou Cavalcante.

O presidente da SMTU considera que houve uma melhora “a olhos vistos” no sistema de transportes urbanos, com a chegada dos novos ônibus. “Com o reforço da frota, melhorou a qualidade do serviço e aumentou o número de passageiros do sistema convencional. Com isso, naturalmente passa-se a desestimular as anomalias do sistema de transporte urbano”, disse Marcos Cavalcante. Segundo ele, o rodízio foi aceito, em comum acordo, por todas as cooperativas do sistema Alternativo. “Juntamente com a nossa área técnica, fizemos um planejamento para ver como podíamos minimizar o problema de faturamento deles. Fizemos reuniões e decidimos diminuir, pela metade, a cada dia, o número de ônibus nas ruas, para que cada um rode um dia de serviço, diminuindo a concorrência entre eles e melhorando o trânsito”, disse Marcos Cavalcante.

O presidente da SMTU disse, ainda, que para os Alternativos só haverá vantagens. “Eles vão receber mais passageiros e rodar menos Além disso, não vai comprometer a renda deles, porque terão mais oferta de passageiro em virtude da diminuição da concorrência”, disse. Um total de 40 técnicos da SMTU farão a fiscalização do rodízio. “Cada motorista é fiscal de seus colegas e poderá identificar a infração cometida caso um colega não obedeça o rodízio. Afinal, eles mesmos selecionaram e indicaram quem iria fazer parte de cada grupo.”

Ônibus podem ser ‘reserva técnica’

Futuramente, segundo Cavalcante, a SMTU poderá usar o sistema Alternativo como uma reserva técnica para o órgão. “Quando um ônibus convencional tiver dificuldades de entrar num bairro, em virtude do tamanho e do estreitamento das ruas, a gente vai ter a possibilidade de colocar esses ônibus suplementares à frota convencional”, anunciou Cavalcante. O próximo passo será o planejamento do quadro de horário e o itinerário dos ônibus Alternativos. “Hoje, eles rodam desesperadamente, catando os passageiros. Se conseguirmos estabelecer o itinerário com quadro de horário, eles vão rodar consumindo muito menos e recebendo muito mais”, disse.

Mas, para os motoristas, o sistema de rodízio é apenas um experimento. “Nós só vamos saber se vai dar certo depois quando tivermos rodando no rodízio. Se não der, vamos voltar a rodar todo mundo de novo”, disse o motorista Juscelino da Cruz, que é dono de veículo. Os ônibus Alternativos rodam pelos bairros Armando Mendes, Grande Vitória, Cidade de Deus e Jorge Teixeira, de acordo com a cooperativa.