Publicidade
Manaus
Cotidiano,Meio Ambiente,Carbono,árvores,Semmas,Projeto CO2,Semed,SEMULSP,Inpa, RDS Tupé

Alunos envolvidos no Projeto CO2 de Monitoramento de Carbono recebem certificados

O programa tem como finalidade envolver alunos e professores na causa da proteção da floresta amazônica, por meio das atividades pedagógicas diversificadas, entre elas a medição do Carbono (CO2) estocado nas árvores 08/10/2012 às 12:20
Show 1
Alunos durante uma das atividades do projeto
acritica.com Manaus

Alunos da Escola Municipal Professor Paulo Freire, situada na comunidade Agrovila, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Tupé – na margem direita do rio Negro -, envolvidos na implementação do Projeto CO2 Práticas Educativas de Monitoramento de Carbono em Áreas Demonstrativas, receberão nesta terça-feira (9), certificados de participação nas primeiras 40 horas de implantação do programa. Os certificados serão entregues a 13 alunos da escola.  

O projeto é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Limpeza Pública (Semulsp), Fundo Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente (FMDMA), além do Laboratório de Manejo Florestal do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

O programa tem como finalidade envolver alunos e professores na causa da proteção da floresta amazônica, por meio das atividades pedagógicas diversificadas, entre elas a medição do Carbono (CO2) estocado nas árvores em parcelas permanentes de floresta nas zonas rural e urbana de Manaus.   

Outra atividade é a pesagem dos resíduos sólidos gerados na escola, para obtenção da composição química dos mesmos. O trabalho contribuirá para a realização do primeiro inventário de Carbono da cidade, com a participação direta de 110 alunos da rede municipal.

Na área demonstrativa em que atuam, 24 árvores estão sendo monitoradas. A coordenadora do projeto, Angeline Ugarte, explica que a certificação acontece na comunidade antes do final do período letivo especificamente por conta da brusca descida do rio, que inviabiliza o acesso dos alunos à escola.

“É uma situação atípica que levou à antecipação dos prazos, mas no caso das demais escolas envolvidas, as atividades prosseguirão até o dia 7 de dezembro, com a certificação sendo realizada no período previsto”, afirmou.

A medição do CO2 é feita por meio do uso de paquímetros digitais, que são acoplados às fitas de alumínio instaladas nas árvores (bandas dendrométricas). Os paquímetros permitem verificar o aumento do diâmetro das mudas e árvores monitoradas. São utilizadas também  balanças digitais de fácil manuseio para a pesagem dos resíduos nas escolas. Os resultados das
medições das árvores – realizadas quinzenalmente – são anotados e discutidos em sala de aula, assim como os resultados da pesagem do lixo.

“Com essas atividades, a Semmas espera participar ativamente da formação de uma cidadania ambiental entre os jovens moradores de áreas envolvidas”,  destacou Angeline.

As demais áreas monitoradas pelo projeto estão situadas no Igarapé do Passarinho, envolvendo os alunos das escolas municipais Antonio Moraes e Jornalista Sabá Raposo, nos bairros Terra Nova 2.

Na RDS do Tupé, as quatro escolas envolvidas são Paulo Freire, na Agrovila, Canaã 2, no Julião, São João , no São João do Tupé, e São José 1, no Livramento. Além da Agrovila, as demais comunidades estão chegando no mesmo nível da falta de acesso, o que provavelmente levará a antecipação da certificação dos participantes ainda este mês.

Angeline também salienta que a medição não sofrerá nenhum prejuízo, pois os técnicos da Semmas continuarão indo às comunidades para fazer o monitoramento. O projeto este ano terá 40 horas de duração e em dezembro deste ano apresentará os primeiros resultados de 2012.