Publicidade
Manaus
nota divulgada

Alvo de inquérito do Ministério Público, comandante da PM pede afastamento

Marcus James Frota não citou o teor da investigação contra ele e classificou seu afastamento 'como medida idônea, transparente e responsável, com franca intenção de evitar qualquer suspeita de uso do meu posto ou autoridade para interferir ou mesmo influenciar qualquer deliberação' 11/05/2016 às 18:08 - Atualizado em 11/05/2016 às 18:09
Show img0017380218
Foto: Gilson Mello/Freelancer
acritica.com Manaus (AM)

Em nota divulgada no fim da tarde de hoje (11), o comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas, Marcus James Frota, informa que pediu afastamento da função porque está sendo investigado pelo Ministério Público.

Na nota, James Frota não cita o teor da investigação contra ele. "(...) vejo meu afastamento como medida idônea, transparente e responsável, com franca intenção de evitar qualquer suspeita de uso do meu posto ou autoridade para interferir ou mesmo influenciar qualquer deliberação. Esta é uma decisão de caráter pessoal, mas que traduz bem a conduta deste comandante diante dos seus comandados, de conduzir cada sentença com firmeza e coragem", afirma.

Confira a nota na íntegra:

Em cumprimento às funções públicas do cargo de Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PMAM), venho por meio desta, informar meu afastamento temporário das atribuições de comandante geral, conferidas pelo governador José Melo de Oliveira. 

Esta decisão toma por base a postura que sempre adotei diante desta corporação e tem por objetivo trazer ainda mais independência e credibilidade ao inquérito policial em que meu nome é mencionado. Durante as investigações me coloquei voluntariamente à disposição, colaborando e prestando as informações necessárias, inclusive por meio de depoimento formal.

Neste passo em que o inquérito está sob a responsabilidade do Ministério Público, vejo meu afastamento como medida idônea, transparente e responsável, com franca intenção de evitar qualquer suspeita de uso do meu posto ou autoridade para interferir ou mesmo influenciar qualquer deliberação. Esta é uma decisão de caráter pessoal, mas que traduz bem a conduta deste comandante diante dos seus comandados, de conduzir cada sentença com firmeza e coragem.

Agradeço imensamente aos meus liderados, sobretudo a confiança depositada no trabalho até agora realizado por este comando. Estou certo de que cada ponto será esclarecido dentro dos mais rigorosos critérios de apuração contidos no conjunto probatório, agora no âmbito do Ministério Público, a quem deposito irrestrita confiança. Portanto, sigo firme na postura que me foi base de convivência e trabalho até que tudo esteja devidamente esclarecido.

Sem mais, encerro este comunicado ressaltando os valores de justiça, verdade e honestidade que nos acompanham nesta centenária instituição.