Publicidade
Manaus
Manaus

Amazonino Mendes articula PDT para eleições de 2014

Prefeito de Manaus disse que o PDT ainda não apontou um nome para a sucessão. “Depende muito dos nomes”, alertou 12/03/2012 às 07:39
Show 1
Amazonino Mendes disse na convenção pedetistas que a prefeitura precisa de um “administrador, não de um político”
Lúcio Pinheiro ---

O prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PDT), ao negar novamente que é candidato à reeleição este ano, demonstrou estar de olho na eleição para Governo do Estado em 2014. A declaração foi dada durante convenção estadual do Partido Democrático Trabalhista (PDT). “É preciso que se diga que a prefeitura não é a última instância do PDT. O PDT tem condição para ter governador do Estado”, avisou Amazonino.

Discursando para militantes do PDT com atuação na capital e no interior, Amazonino garantiu total envolvimento nas eleições deste ano, mesmo abdicando de concorrer à reeleição em Manaus. “Quero deixar claro que o fato de não ser candidato não significa que o processo político estará abandonado por Amazonino. Pelo contrário, vocês vão ver um gigante lutando pelo partido em todo o Estado”, prometeu o prefeito.

Amazonino lembrou que nas vezes em que falou que não iria ser candidato, manteve o discurso. Lembrou da eleição de 2006 para o Senado Federal, e do processo eleitoral para Governo do Amazonas em 2010. Segundo o prefeito, nas duas ocasiões apostavam que ele seria candidato. O que não se concretizou.

Para Amazonino, a administração dele à frente da Prefeitura de Manaus iria parar se ele lançasse candidatura à reeleição. “Agora me procuram sobre reeleição. Mas eu digo com clareza que não quero. É uma honra ser prefeito, mas acima das minhas ambições está a minha biografia. Tenho que concluir minha obra. Não posso sair da prefeitura sem deixar um legado de obras, como sempre fiz”, disse o prefeito.

Segundo o prefeito, ainda não é possível dizer se o PDT terá candidato a prefeito em Manaus, e quem poderia ser esse nome. “É um assunto que a gente ainda não tratou. Depende muito dos nomes”, comentou Amazonino. Para ele, a escolha não vai ser fácil. “Torço para que venha uma pessoa séria, equilibrada. Por que a prefeitura requer um administrador, não um político. Político a gente tem muitos. Agora, com capacidade administrativa para enfrentar isso aí (Prefeitura de Manaus) que é o problema”, avaliou o prefeito.

Rompido com o deputado Sabino Castelo Branco, presidente regional do PTB, Amazonino Mendes ingressou no PDT em setembro de 2011. Como maior nome da sigla no Estado, ele prometeu “agigantar” o novo partido. “Condenaram esse partido a ser um partido pequeno. Chegou o momento do PDT se agigantar. Vem um PDT novo”, disparou à época.

Prefeituras, o maior objetivo

Para criar musculatura política para participar da corrida eleitoral ao Governo do Estado em 2014, o PDT vai ter que se empenhar em eleger o maior número possível de prefeitos no interior este ano. A tarefa não é fácil. Com exceção de Manaus, a sigla não administra nenhuma prefeitura no Amazonas.

Atualmente, a sigla tem apenas dois vice-prefeitos: Messias Cursino, em Parintins, e Ednilson Litaiff, em Alvarães. Nas Câmaras municipais do interior, o PDT é dono de 22 cadeiras.

Em Manaus, a sigla tem seis vereadores: Francisco da Jornada, Gilmar Nascimento, Luiz Alberto Carijó, Wilton Lira, Dr. Denis e Marize Mendes, irmão do prefeito Amazonino Mendes. Jornada foi o único vereador a participar da convenção estadual realizada pelo PDT, ontem.