Publicidade
Manaus
Manaus

Apagão deixa dois milhões sem energia e empresa põe a culpa em cabo

Aulas foram suspensas, 200 semáforos deixaram de funcionar e atendimento em hospitais foi mantido com a ajuda de geradores. Segundo a Amazonas Energia, rompimento de um cabo para-raios na subestação de Mauá, Zona Leste de Manaus, causou apagão 27/11/2012 às 23:22
Show 1
Em shopping da cidade, clientes almoçaram às escuras nesta terça-feira (27)
acritica.com Manaus

A Eletrobras Amazonas Energia confirmou que toda a cidade de Manaus, e os municípios de Iranduba, Manacapuru e Presidente Figueiredo, foram atingidos por um 'apagão' na tarde desta terça-feira (27). Nas quatro cidades residem, ao todo, 1.955.111 habitantes, conforme dados do IBGE. 

Segundo o diretor de geração e operação da Amazonas Energia, Radyr Oliveira, o rompimento de um cabo para-raios na subestação de Mauá, na Zona Leste de Manaus, foi a causa do apagão. "Não é comum haver um rompimento dessa natureza. As causas serão analisadas", disse Radyr Oliveira.

Até o momento, a empresa diz que não sabe informar se um raio atingiu a subestação. A Amazonas Energia prometeu consultar o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) para saber se houve a ocorrência. Radyr Oliveira prometeu, mais uma vez, que Manaus não terá mais interrupções de energia - pelo menos à noite.  

Caos
Trânsito engarrafado, semáforos sem funcionar, aulas interrompidas, órgãos públicos fechados, acesso precário à internet e à telefonia celular. Esses foram alguns dos problemas enfrentados na tarde desta terça-feira (27), em Manaus, durante o 'apagão'.

De acordo com o Manaustrans, aproximadamente 200 semáforos espalhados pela cidade deixaram de funcionar, o que deixou o trânsito lento em diversas zonas da cidade. A assessoria informou que o Manaustrans disponibilizou 120 agentes de trânsito para atuarem nos principais corredores viários de Manaus.

De acordo com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), a Defesa Civil do Município ficou sem sistema durante todo o tempo de interrupção da energia.

Outro órgão afetado pelo apagão foi o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM). Centenas de pessoas que aguardavam para serem atendidas foram frustradas pela queda no sistema de informação do órgão e serão obrigadas a retornar no dia seguinte.

Segundo o Corpo de Bombeiros, duas pessoas ficaram presas em elevadores - uma em um prédio na avenida Constantino Nery, bairro Chapada, e outro na rua Japurá, na Praça 14, Centro.

Sem aula
Segundo informações da assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Educação (Semed), a maior parte das escolas dispensaram os alunos pela falta de energia nos locais. Os mais afetados foram os colégios na Zona Norte de Manaus.

Já a assessoria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou que todos os alunos das escolas estaduais foram dispensados no decorrer da tarde, mas que as aulas noturnas ocorreram normalmente.

Geradores em hospitais
Na hora em que ocorreu o apagão, todos os hospitais públicos e de emergência tiveram de usar os geradores para continuar atendendo os pacientes. Nenhum serviço médico teve de ser interrompido pela falta de energia, segundo informou a assessoria da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Relatos
A professora Joiciane Zambrano disse que tentou atendimento em duas Casas de Saúde da Família, nos bairros Campos Sales e Tarumã, mas não conseguiu pela falta de energia. Ela afirmou que nos locais, ninguém estava sendo atendido.

O serralheiro Adevaldo Santos Batista afirmou que no bairro Compensa 1, Zona Oeste, faltou energia de 13h às 14h30. A aposentada Marly Bruno contou que o conjunto Ajuricaba, bairro Planalto, ficou sem energia por quatro horas. O serviço foi interrompido às 13h.

"Estava com minha neta em casa e tive que sair para 'dar uma volta' durante a tarde toda porque não tinha luz no meu prédio", relatou Heloísa Helena, que mora no Centro de Manaus.

Justificativa
O rompimento em um cabo para-raio da subestação de energia Mauá foi a causa do apagão da tarde desta terça-feira, segundo a Amazonas Energia. De acordo com a empresa, a subestação detém a maior parte da concentração de energia do Estado.

Ainda segundo a empresa, o rompimento foi detectado às 13h23 e o início de sua recuperação começou vinte minutos depois. Além de Manaus, os municípios de Iranduba, Presidente Figueiredo e Manacapuru também ficaram sem energia, que só voltou completamente às 17h15.

Um relatório investigativo foi instaurado para saber as causas do rompimento e deverá ser divulgado em trinta dias, informou a empresa.

Promessa
O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, prometeu, em outubro passado, acabar com os apagões na cidade no prazo de seis meses a partir do início da transmissão de energia gerada pela hidrelétrica de Tucuruí, no Pará.